Loading...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Anatomia do Pilates - Pilates e a Teoria dos Deslimentos dos Filamentos

Ainda temos o retículo sarcoplasmático que é o conjunto de bolsas membranosas citoplasmáticas onde há cálcio armazenado para completar o processo de contração muscular.


Teoria do deslizamento dos filamentos
A contração muscular acontece com a movimentação das bandas citadas no post anterior. Para isso, há uma teoria: Teoria do Deslizamento dos Filamentos. No momento em que o músculo contrai, as bandas I e H diminuem em largura.
A contração muscular acontece pelo deslizamento dos filamentos de actina sobre os de miosina. O sarcômero diminui devido à aproximação das duas linhas Z. e a zona H chega a desaparecer. 

Nas pontas dos filamentos de miosina temos pequenas projeções que são capazes de formar ligações com locais de filamentos de actina quando o músculo é acordado pelo estímulo nervoso, seja este voluntário ou não. 
As projeções da miosina puxam os filamentos de actina, forçando-os a deslizar sobre os filamentos de miosina, levando ao encurtamento das miofibrilas tendo como consequ~encia a contração muscular.




Segundo o fisiologista Huxley, a contração muscular deve-se ao deslizamento entre os miofilamentos de actina e miosina em cada sarcômero na presença de ATP como fonte de energia e dos íons Ca2+ e Mg2+ (observe na figura acima). Com o encurtamento dos sarcômeros, as miofibrilas e, conseqüentemente, as fibras musculares também encurtam. Assim como os neurônios fazem no disparo de um impulso, as células musculares obedecem à lei do tudo ou nada na sua contração: cada célula muscular está sempre totalmente contraída ou totalmente relaxada. Quando contraem, o fazem estimuladas por um impulso elétrico do sistema nervoso. Se o impulso não atinge um limiar mínimo sensível pela fibra muscular ela permanece inerte, mas se o estímulo atinge valor igual ou maior ao do limiar ela contrai de forma máxima. Portanto, o que faz um músculo contrair com maior ou menor intensidade não é o quanto cada uma de suas fibras foi estimulada por um nervo, e sim quantas células o nervo conseguiu atingir com estímulo igual ou superior a um limiar mínimo.

A creatina-fosfato é uma reserva de energia armazenada pela célula muscular para ceder seu fósforo ao ATP por uma via anaeróbica. Como o ATP é a fonte direta de energia para o movimento muscular, este é facilitado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário