Loading...

domingo, 30 de janeiro de 2011

Entendo os miniscos - Pilates São Caetano do Sul

O que são os meniscos e por que eles se rompem? Os meniscos são duas estruturas com a forma de "meia-lua", fixas sobre a tíbia, que envolvem a extremidade do fêmur em toda a sua periferia, no interior do joelho. São cartilagens com consistência e elasticidade semelhantes às orelhas. Sua função é absorver choques mecânicos entre os dois ossos, e ajudar na estabilização. 
Quando um atleta sofre uma torção, a superfície articular do fêmur deixa de se apoiar na porção central da tíbia, e o menisco é esmagado entre os dois, rompendo-se. Isso ocorre também em pessoas que trabalham agachadas por períodos prolongados e nos idosos, ao tentarem levantar-se, quando sentados em móveis muito baixos.

Trecho extraído do livro SAÚDE -ENTENDO AS DOENÇAS Por Paul Kauffman et al. 
Fichamentos dos estudos realizados pela Professora Andréa Elaine Sechini

Motivação para ganhar e manter o condicionamento físico

"Pessoas que têm sonhos mantêm a esperança. Se tiverem energia interior, a possibilidade de que alcancem seus objetivos com mais facilidade é muito maior. 
Apesar de todos os momentos difíceis da vida, quem é capaz de sorrir e se alegrar permanece em harmonia consigo e com o mundo ao redor.


Podemos falar sobre motivação de infinitas maneiras, mas sentir-se motivado é uma questão pessoal. É inevitávle não nos surpreendermos com um indivíduo que tenha um membro de seu corpo amputado e, mesmo com uma incômoda prótese mecânica, percorra maratonas no mundo inteiro.


O que, de fato, nos motiva? O que faz com que algumas pessoas se sintam mais motivadas que outras?
Uma pessoa motivada tem objetividade e, sabendo qual o caminho a seguir, se determina a ir em frente, sem desviar-se de seus ideais, independentemente das adversidades que possam surgir pelo caminho.


 Pessoas que se sentem motivadas a praticar exercícios físicos o fazem, apesar de algumas vezes se sentirem cansadas, mesmo depois de um dia duro de trabalho.No entanto, elas têm grande força de vontade e se dedicam às atividades físicas, porque sabem que a prática de se exercitar faz com que o cérebro liberem entre outras substâncias, a endorfina, que é produzida em resposta à atividade física e tem como finalidade relaxar e dar prazer, despertndo a sensação de euforia e bem-estar.


TUDO QUE SE FAZ COM PRAZER É RECOMPENSADO PELO ÊXITO


O ser humano é influenciado por algo externo a ele ou mesmo intimamente. A motivação pode acontecer independentemente da própria satistação pessoa, quando, por exemplo, estiver ligado à sobrevivência e, assim, o indivíduo se motiva a trabalhar para conseguir alimento, estudo ou prazer. 

Uma das dicas mais importantes que me deram na vida acerca de motivação está relacionada a Metas Possíveis. Estabeleça objetivos mais acessíveis, pois metas difíceis de serem cumpridas às vez podem dar uma conotação de distância, como se o resultado a ser atingido estivesse a anos-luz."

Fichamentos do cursos de Pós-graduação da Professora Andréa Elaine Sechini

Trechos do livro: A CONSTRUÇÃO DO CORREDOR  Por Miguel Sarkis

Diferença entre Alongamento Estático e Dinâmico

"Manter a tonicidade e a elasticidade dos músculos garente uma boa prática esportiva, evita lesões e reduz a dor muscular. E é claro, seu corpo agradecerá, mantendo-se mais jovem e vigoroso.


Para as pessoas que têm trabalhos sedentários, os alongamentos serão duplamente benéficos, pois eles desbloqueiam o corpo, eliminando sobrecargas e até contraturas."


Existem diferentes formas de alongar. Dois exemplos são os alongamento estático e o dinâmico. No primeiro, os músculos são alongados a partir de uma postura imóvel. Já no segundo, você passa de uma postura a outra, alongando em movimento. Na Ioga, como você deve executar o asana e mantê-lo po um temp, o primeior é mais praticado" No Pilates praticamos mais o segundo.

Fichamento do livro IOGA - 101 EXERCÍCIOS PASSO-A-PASSO  Por Estefania M.  Nussio
Estudos realizados pela Professora Andréa Elaine Sechini

sábado, 29 de janeiro de 2011

PROPRIOCEPÇÃO "UMA PALAVRA MUITO OUVIDA NAS AULAS DE PILATES"

Cinestesia também denominada como Propriocepção, é o termo utilizado para nomear a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos  e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão. Este tipo específico de percepção  permite a manutenção do equilíbrio postural  e a realização de diversas atividades práticas. Resulta da interação das fibras musculares  que trabalham para manter o corpo na sua base de sustentação, de informações táteis  e do sistema vestibular , localizado no ouvido interno.
Proprioceptores
Os proprioceptores são receptores que se lo­calizam mais profundamente nos músculos, aponeuroses, tendões, ligamentos, articulações e no labirinto cuja função reflexa é locomotora ou postural. Podem gerar impulsos nervosos, conscientes ou inconscientes. Os primeiros atingem o córtex cerebral e permitem que, mesmo de olhos fechados, se tenha a percepção do próprio corpo, seus segmentos, da atividade muscular e do movi­mento das articulações. Sendo portanto responsáveis pelo sentido de posição e de movimento (cinestesia). Os impulsos nervosos proprioceptivos inconscientes não despertam nenhuma sensação; são utilizados pelo sistema nervoso central para regular a atividade muscular, através do reflexo miotático ou dos vários centros envolvidos com a atividade motora, como o cerebelo. Em resumo: Os proprioceptores são essenciais para informar ao nosso cérebro a noção de posição dos membros, e por sua vez, esta informação de posicionamento corporal é essencial para o controle dos movimentos. 

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Frases, Aulas e Cursos - Pilates São Caetano do Sul


"As vezes, uma pessoa mais velha se sente insegura porque percebe a fragilidade de seu corpo. Mesmo as tarefas simples do dia-a-dia como atravessar uma rua, alcançar um armário ou levar uma sacola de frutas tornam-se empreendimentos colossais. Tudo provoca medo. Adoro perceber como trabalho Pilates pode devolver para o idoso a dignidade física por meio da força, equilíbrio, flexibilidade e coordenação."
Professora Andréa Sechini

Pilates – prevenção ao agravamento da escoliose



Pilates – prevenção ao agravamento da escoliose
Imagem: Internet
O Pilates como recurso terapêutico para o portador de escoliose é viável e traz grandes benefícios. Porém, deve-se respeitar a real causa e o grau dos desvios posturais para saber se há ou não indicação deste método para cada paciente.
Escoliose é a denominação de uma deformação morfológica tridimensional, ou seja, um desvio da coluna vertebral, caracterizada pela inclinação, rotação e extensão das vértebras. É uma doença que pode se manifestar ainda na infância, na adolescência, ou começar mesmo na idade adulta. As causas são variadas e evoluem em diversos graus de lateralização e rotação vertebral.
O portador pode até não se queixar de sintomas e apenas perceber alteração na sua postura, mas é muito comum referir dores localizadas ou acompanhadas de outros sintomas associados como dormências, queimação, marcha alterada, que podem sim evoluir para sintomas mais intensos e mais difíceis de serem tratados. O mais importante a se saber, é que se trata de uma doença progressiva, e por isso, o diagnóstico e o tratamento precoce são essenciais.
O Pilates tem a capacidade de oferecer fortalecimento, alongamento e equilíbrio corporal, proporcionando melhor alinhamento vertebral, reduzindo as tensões musculares e as compressões discais, devido a flexibilidade que vai sendo adquirida pelo corpo, proporcionando alívio aos pacientes com escoliose e ainda prevenindo o agravamento da doença.
O cuidado está na hora da prática. O Pilates como método de reabilitação para escoliose baseia-se no grau da lesão, na intensidade dos sintomas, nos fatores adicionais a esta lesão e na capacidade de execução dos exercícios pelo paciente. Não deve haver sobrecarga ou dor, nem durante, nem após a execução.
O ideal é fazer uma avaliação com especialista (ortopedista e fisioterapeuta), exames adicionais de imagem, como uma ressonância nuclear magnética ou radiografia, antes de sair à procura de um estúdio. Com a aprovação de um médico e a supervisão de um fisioterapeuta especializado, a prática do Pilates se torna mais segura e mais benéfica para os portadores de escoliose.
Fonte: http://diriodacarol.blogspot.com
Fonte secundária:http://www.revistapilates.com.br/2011/01/14/pilates-%E2%80%93-prevencao-ao-agravamento-da-escoliose/

Opiniões de nossos alunos - Pilates São Caetano do Sul

"No começo tive muita dificuldade em executar os exercícios de equilíbrio que a Professora Andréa me pedia. Pensei em desistir. Só continuei pelo cuidado e dedicação dela, que me insentivava a superar minhas limitações físicas advindas de um AVC. Aos poucos, meus passos se tornaram mais seguros e meus movimentos mais firmes e amplos, e passei a gostar cada vez mais de fazer Pilates Studio."Antonio Henrique Fogueiras ( dentista aposentado)

"Eu tinha vergonha do meu corpo e nunca gostei do ambiente de academias esportiva, mas a idade chegou e com ela todas os incômodos. Então tive que começar a me mexer e graças a Deus achei o Studio Pilates Ritmos da Vida, onde me sinto respeitado e acolhido e consigo um trabalho de condicionamento muscular e postural que não me deixa exausto"
Fernando Souza (chefe de culinária)

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Ação-reação entre cadeias antagonistas


"Quando as cadeias estão em equilíbrio, elas dão forma ao corpo, otimizando seu funcionamento. Para isso, elas dividem entre si o território, numa complementaridade de ações. Cada uma deixa no corpo marcas que chamamos de úteis, no sentido de que elas dão ao corpo uma forma marmoniosa sem entravar sua dinâmica.
De algum modo, cada cadeia possui seu próprio feudo (lugar em que age) e, desde que não excede-lhe os limites, o equilíbrio geral é preservado.


O excesso de atividade em uma cadeia pode fazer com que ela "transborde" par o feudo de outra cadeia e aí assuma o controle. Essa outra cadeia entra em reatividade, tornando-se antagonista em vez de complementar, manifestando seu desconforto mediante sintomas dolorosos.



A reatividade de uma cadeia corre o risco de ser tanto maior quanto maior for o seu potenciald de base. Recordemos que o potencial corresponde a um vazio e que este nos torna ávidos (le vide rend avide). Instrumentos de expressão de um potencial de base, as cadeias que não conseguem se exprimir no corpo, por serem repremidas por outras cadeias antagonistas, podem sofrer ainda mais que aquelas outras sem tanto potencial, portanto, sem tanta necessidade de exprimir-se."


Fichamento de estudos da Professora Andréa Sechini
do livro ASPECTOS BIOMECÂNICOS Por Philippe Campignion

Mínimo esforço e máximo prazer - Pilates São Caetano do Sul

"Quando todos os seus músculos estão adequadamente desenvolvidos, você vai, por uma questão de natureza, realizar seu trabalho com o mínimo esforço e máximo de prazer"

Joseph Pilates

Joseph Pilates e suas frases - Pilates São Caetano do Sul

"Esteja certo de que você tem todo o seu corpo sob completo controle mental"
Joe e Clara

Joseph Pilates

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Umbigo, Caixa de Força e Pilates

SUA CAIXA DE FORÇA
Todos os exercícios do Pilates começam pelos músculos do abdome, lombar, quadris e glúteos. A faixa muscular que circunda o corpo abaixo da linha da cintura é denominada "caixa de força". Se você pensar em como senta e anda, provavelmente perceberá que concentra a maior parte do peso nessa região. Isso não apenas causa stresse indevido na musculatura lombar inferior, resultando em dor e postura incorreta, como também ajuda a criar os "pneus" que todos tentamos combater tão arduamente.


Geralmente, aprendemos a exercitar os músculos abdominais empurrando-os para fora, formando uma pequena saliência. Essa técnica molda músculos salientes, tendendo a distanciá-los da coluna. Em consequência, a lombar inclina-se levemente para a frente, o que dificulta seu controle, ou aumenta o volume e retração da massa muscular em torno da cintura, com a qual se sustenta a lombar tornando possível delinear adequadamente a linha da cintura. No Pilates, aprendemos a puxar o umbigo em direção a coluna, usando assim os músculos abdominais para reforçar os paravertebrais (músculos que correm ao longo da coluna). Essa ação não apenas fortalece e alonga consideravelmente os músculos da lombar, como também permite obter uma parede abdominal plana. Pressionar o umbigo para a coluna é frequentemente confundido com sugar o estômago, mas esse não é o caso. Ao sugar o estômago, você automaticamente prende a respiração - a antítese do efeito desejado. Em vez disso, pense em um peso pressionado seu abdómen contra a coluna, ou em uma âncora puxando o umbigo contra a coluna. Aprenda a manter essas sensações enquanto respira normalmente, o que significa inspirar e expelir o ar dos pulmões, e não a partir da barriga, como apregoam outras técnicas.

Fichamentos dos estudos e cursos realizados pela professora Andréa Elaine Sechini
Fonte Corpo Pilates de Brooke Siler

Concentração e Pilates em São Caetano do Sul

" Concentração é o elemento-chave para conectar mente e corpo. A fim de trabalhar o corpo, é necessário estar presente com a mente - é ela quem comanda a ação física. Preste atenção nos movimentos que realiza e observe como os músculos respondem a essa atenção. Quando focalizar uma área, observe como sente mais aquela área trabalhando. Esse é o poder da mente. Utilize-o"


Fichamento de estudos da professora Andréa Elaine Sechini
Fonte: O Corpo Pilates  de Brooke Siler

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Alunos falam a respeito da vivência do Pilates no Ritmos da Vida

"A forma como percebo meu corpo, minha respiração e minha mente se aprofundam a cada dia, sei que devo muito disso ao método Pilates"


Giovanna Polly (aluna do Ritmos da Vida Pilates e Yoga há 5 anos)

SENSAÇÕES PILATES - PILATES SÃO CAETANO DO SUL

"Sinto as molas do aparelhos Pilates como continuação dos meu próprios músculos, auxiliando-me dia-a-dia a conquistar mais força e flexibilidade"


Andréa Elaine Sechini (professora de Pilates e Yoga)

sábado, 22 de janeiro de 2011

O STRESS E OS ELEMENTOS CHAVES DO PILATES

Um aspecto fundamental na filosofia de Pilates era a idéia de que os componentes da civilização prejudicavam a boa forma física. Ele acreditava que o estilo de vida moderno causava doenças relacionadas ao estresse, com telefones, carros, pressão econômica e poluição ambiental, todos geando esgotamento físico e mental. Mais adiante, Pilates declarou que esse estresse seria tão esmagador que era provável encontrar em cada um dos lares pelo menos uma pessoa sofrendo desse mal. Suas teoria demonstraram que ele estava à frente de seu tempo, e foram agora extensamente provadas."



Os elementos-chave no Pilates


  • alongar os músculos encurtados e fortalecer os músculos enfraquecidos.
  • melhorar a qualidade dos movimentos.
  • concentrar-se nos músculos posturais centrais para estabilizar o corpo.
  • trabalhar para aplicar a respiração de maneira correta.
  • controlar até mesmo os menores movimentos.
  • entender e melhorar a boa mecânica do corpo.
  • relaxar a mente.

Pilates como reeducação do corpo e mente- Pilates São Caetano do Sul

"Aprendi que o Pilates é um modo de reeducar nossos corpos e mentes. A chave é o pensamento, cada movimento no Pilates é ponderado e exige concentração. Esse ato de vontade funde corpo e mente e dá a sensação de bem-estar característica da prática constante dos exercícios. Se você for capaz de manter-se forte e flexível e tomar consciência de seu corpo por meio do Pilates, estará menos propenso a sofrer lesões e problemas de postura, e caso venha a sofrê-los, a recuperação s dará em menos tempo. É essencial que você pratique os exercícios regularmente porque a verdade acerca de uma solução rápida é que el simplesmente não existe. Mudanças genuínas e duradouras exigem tempo."
Fichado nos estudos de Andréa Sechini
Trevor Blount em Pilates Basico

TREINO DE RESISTÊNCIA - PILATES SÃO CAETANO DO SUL



"Equipes atléticas, incluindo jogadores profissionais de futebol e basquete, além de golfistas de categoria internacional, estão aderindo ao método Pilates porque ele condiciona grupos de pequenos músculos esquecidos, enquanto os músculos maiores ficam cada vez mais tonificados e condicionados. O método Pilates não exige demais do corpo, mas você vai ficar surpreso com  nível de condicionamento. O resultado geral é invejável: um corpo equilibrado, forte, ágil e flexível. Trabalhar esses grupos de pequenos músculos exige concentração, controle e precisão, sincronizando assim, mente e corpo. Por isso, esse método é chamado de exercício pensante. Em vez de ganhar força malhando pesado, você usa a mente para controlar o movimento muscular e presta atenção nesse movimento.
 Pilates é um recurso incrível para a reabilitação de contusões, pois  impões menos stress às articulações machucadas e aumenta a força dos grupos musuclares que as sustentam. Por isso, é o método favorito eentre atletas, dançarinos, ginastas e skaters profissionais"
Fichado por Andréa Elaine Sechini
Fonte:  A SOLUÇÃO PARA NÃO ENVELHECER, por Marcia Zimmerman, Vincent Giampada

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Desvendando o Método - Pilates São Caetano do Sul



"Mais de 600 músculos mantém os movimentos do nosso corpo. Nós também  precisamos de alguns para piscar e outros para mastigar (rs rs rs). Quando nos sentimos frio, minúsculos músculos contraem para arrepiar finíssimos pelos. Todo nosso sangue é bombeado através de nosso sistema vascular por meio de pequenos músculos. Ou seja, estamos acionando músculos o tempo para inúmeras funções.


Contudo, nossos músculos podem se tornar atrofiados devido a movimento unilaterais ou incorretos. Pilates é uma efetiva forma de reeducar mesmo o mais negligenciado dos músculos. Estes exercícios requerem uma técnica respiratória especial e um constante trabalho muscular.Pilates não apenas melhora nossa força e resistência, ele também aumenta nossa flexibilidade e coordenação."


Trecho adaptado por Andréa Sechini


PILATES: IMPROVE YOUR WELL-BEING Por Ralf Meier

BENEFÍCIOS DE UM ASSOALHO PÉLVICO SAUDÁVEL - PILATES SÃO CAETANO DO SUL

  • Melhora a capacidade de estirar e relaxar com mais facilidade durante o parto.
  • Melhora a circulação para a região pélvica.
  • Promove a rápida recuperação e cicatrização, auxiliando na reconquista de boa qualidade muscular após o parto.
  • Previne a incontinência unrinária por esforço.
  • Melhora as sensações sexuais
  • Apóia os órgãos da pelve.
  • Previne o mau alinhamento das articulações do quadril e sacroilíacas (que formarm uma interligação entre a parte posterior da pelve e os ossos do quadril).
  • Ajuda a prevenir problemas de instestinos e bexiga que podem vir a ocorrrer em idades mais avançadas.
  • Promove a estabilidade da musculatura postural.
Fonte PILATES PARA GRÁVIDAS Por Jan Endacott

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Dicas de Respiração para Gravidas durante a prática de Pilates

Para respirar de forma profunda e eficiente, inspire pelo nariz e expire pela boca, com os lábios semiabertos. Ao exercitar-se, é funcamental expirar no ponto de esforço do movimento e inspirar enquanto relaxa ou se prepara para o próximo movimento. Esse padrão lhe permite evitar tensão e se concentrar totalmente em cada movimento do exercício. Respirar corretamente durante o exercício estimula os músculos do assoalho pélvico, abdominais e das costas e atuarem de forma conjunta e plena, oferenco a estabilização essencial para a sua pelve e coluna lombar.



DICAS
  • Evite respirar apressadamente. Mantenha sua respiração em um ritmo confortável para ajudá-la a evitar a falta de ar.
  • Com o aumento do tamanho do seu bebê, particularmente no estágio final d gravidez, respirar profundamente poderá não ser confortável; assim, respire normalmente.
  • Nunca prenda o fôlego (muitas mulheres fazem isso ao se exercitarem, sem que percebam), já que isso pode causar tontura ou desmaio.
 PILATES PARA GRÁVIDAS Por Jan Endacott
Editora Manole

Fuidez - Pilates São Caetano do Sul


Cada movimento deve ser planejado para ser realizado de uma maneira suave, natural e ritímica. Nesse método de exercícios não são permitidos movimentos violentos, bruscos ou rápidos, atividades descontroladas ou sem consciência - Afinal este constituem a antítese toral de tudo aquilo que você está tentando conseguir. Se um movimento, alguma vez, der a impressão de ter sido feito dessa maneira, pode ter certeza de que você está fazendo algo errado. Cada movimento origina-se de um centro forte e flui de um modo lento, suave e controlado, aquecendo assim os músculos e fazendo com que eles se alonguem e aumente o espaço entre as vértebras (crescimento axial), de tal modo que nossa postura se torna mais esbelta e longilíneo.


Fonte: Pilates Modele seu corpo e transforme sua vida 
por Lesley Ackland
Fichado por Andréa Elaine Sechini

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Detalhes do processo de alongamento no Pilates - Pilates São Caetano do Sul

Ao se exercitar, lembre-se de que:
  • Por causa da sua elasticidade, cápsulas articulares e ligamentos podem não retornar à sua extensão ideal se forem alongado em excesso; logo, o risco de lesões aumenta durante os exercícios.
  • É ideal que o alongamento de um músculo seja de forma gradual e envolva um movimento lento e sustentado. Movimentos rápidos ou bruscos podem resultar no encurtamento do músculo, por causa dos reflexos.
  • Para relaxar um músculo, a articulação envolvida não deve ser forçada ao seu alcance máximo e deve estar totalmente apoiada.
Fonte: Pilates para as costas de Tia Stanmore

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Movimentos Pendulares - Estudos do Movimento - Pilates São Caetano do Sul


"Movimentos pendulares de membros superiores durante a marcha não requerem movimentos de mãos e cotovelos. Ocorre a partir da escápula, solicitando músculos do tronco. O impulso a partir do pé prolonga-se pela extensão do tronco, provoca o encaixe da escápula e esta a rotação interna de cabeça umeral. A partir daí uma contração de deltóide anterior e peitoral maior é o bastante para fazer o úmero balançar anteriormente, atingir a posição de máximo balanceio anterior e retornar, estabelecendo um movimento pendular que será tanto mais facilitado quanto mais se estabelece o ritmo da marcha. Nesse caso, o ombro superior entra intermitentemente em um percurso de extensão e sai sem que isso possa ser  considerado falta de coordenanação. Trata-se de um movimento de contra-rotação, compensatório da rotação da cintura pélvica e dos membros inferiores necessários para a deambulação"

fonte : A biomecânica da coordenação motora 
Por Angela Santos
Summus Editora

Pilates para surfistas - Pilates São Caetano do Sul

Pilates para surfistas


Pilates para surfistas Imagem: Internet
Os desvios na coluna acarretam muitas dores e limitações. As alterações no alinhamento da coluna são consideradas posturas viciosas e aparecem junto a movimentos cotidianos como sentar, deitar, agachar…
A maior parte dos desvios ocorre na região lombar, a base da coluna onde há maior mobilidade e suporte de maior peso. A reeducação postural, associada à atividade física regular, torna-se importante para a prevenção e correção dessas alterações.
Uma boa postura é fundamental para o desempenho das funções diárias e na prática de esportes, além de prevenir problemas músculo-esqueléticos.
Dores na região lombar são uma das queixas mais comuns entre os surfistas. De cada 100 surfistas, 30 sofrem de dores na coluna cervical e lombar. As principais causas apontadas são a posição durante a remada (onde o praticante deve manter-se por muito tempo em uma posição que contrai e força a região lombar), manobras explosivas com repetidas rotações e compressão da coluna e o “joelinho”.
A maneira mais indicada de se prevenir destes desvios na coluna é a prática de atividades físicas, com exercícios que fortalecem as musculaturas abdominais, espinhais, glúteos e pélvicos trocanterianos. Assim, é possível evitar encurtamentos musculares e lesões, melhorando o rendimento esportivo.
Por isso, encontramos um número cada vez maior de surfistas que recorrem ao Pilates para tratar as dores nas costas e se beneficiar das outras vantagens que o método pode oferecer – trabalho com equilíbrio e flexibilidade, fortalecimento de coluna, braços e pernas, elementos essenciais para a boa prática do surf.
Foi justamente essa queixa que levou o estudante e surfista Rodrigo Bertrand, a procurar o Pilates. “Já fiz RPG e fisioterapia, mas não consegui me livrar das dores nas costas. Ouvi falar sobre os benefícios específicos do Pilates para os surfistas e decidi testar o método. Em dois meses de aula, não sinto mais dores nas costas”, relata Rodrigo, que notou também melhora na flexibilidade e na resistência dentro da água.
“Além de melhorar consideravelmente o meu equilíbrio, o Pilates me proporcionou mais flexibilidade e força muscular. Sem contar que estou mais calmo e consciente em cima da prancha”, completa o estudante Rodrigo Bertrand que surfa há 11 anos e há mais de 2 anos se dedica ao Pilates.
O surfista Clodoaldo Veiga, o Dodô, de 17 anos, também observou mudanças positivas e num período curto de treinamento. O atleta sentia muitas dores nos joelhos e na bacia, além de ter câimbras constantes. “Estou surfando melhor e com mais flexibilidade na onda. Tenho trabalhado bastante as pernas, até pelo fato de muitas vezes ter que entrar em várias baterias em um único dia” diz o surfista.
Em todos os esportes com prancha, em geral, o Pilates pode trazer muitos benefícios, dentre eles, o aumento da coordenação neuromuscular, que é um trabalho mais funcional e específico para o movimento deste tipo de esporte.
No Kite-Surf, o Wakeboard e até mesmo o Skate, o Pilates trabalha a tonificação muscular e melhora a concentração isométrica no momento em que está em pé na prancha e na execução das manobras. Assim, as articulações serão capazes de suportar uma carga maior bem como a coluna cervical e a lombar.
Fontes: Fisioterapeuta Andreia Fornaro, Especialista em Fisioterapia Esportiva e Terapias Manuais /  www.clicksurf.com.br

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Decúbito lateral: o ambiente estranho mais familiar do Pilates

matéria escrita pela profª de Educação Física Silvia Gomes através do blog Pilatespaço
 http://www.educacaofisica.com.br

Ainda desenvolvendo a temática dos ambientes estranho e familiar, quero convidá-los a pensar no decúbito lateral.
A situação de estar em decúbito lateral, deitado de lado, nos é bastante estranha.
Geralmente não fazemos quase nada em decúbito lateral, pelo menos nada muito ativo. Muitas pessoas dormem em decúbito lateral por ser uma posição bastante confortável e, inclusive, recomendada.

O decúbito lateral apresenta-se como um estímulo muito interessante, em se falando de ambiente estranho, para levar o aluno a um inicio de reorganização postural. Além disso ele aparece várias vezes no repertório de Pilates tornando-se, apesar de estranho, bastante familiar.

Solo:
No decúbito lateral no solo ficamos com a descarga de peso, basicamente, em duas regiões inusitadas: o trocânter maior do fêmur e a borda lateral da escápula. É importante não descarregar o peso sobre o acrômio, mas dar uma suave deslizada do braço para frente provocando uma abdução da escápula.
O braço de baixo poderá também estar flexionado ou alongado sob a cabeça. De qualquer forma é necessário dar suporte para que a cabeça fique perfeitamente alinhada com a cervical e restante da coluna de forma que o pescoço esteja neutro e relaxado.
Se optarmos em colocar o braço de baixo para frente é importante que coloquemos tantas almofadas forem necessárias para deixar a cabeça e cervical organizadas.

O braço de cima pode estar a frente tocando no solo, o que regride o exercício por aumentar a base de suporte diminuindo o desafio de equilíbrio ou ao longo do corpo desafiando mais a organização.

Podemos também fazer algumas variações em relação as pernas. Se bem flexionadas, como numa posição table top em decúbito dorsal, com 90º graus de flexão de quadril e joelhos, o elemento equilíbrio fica bem reduzido.
Neste caso teremos em jogo o desafio do alinhamento da coluna no plano frontal. A coluna flexiona em direção ao chão convidada pela gravidade. A pelve faz uma báscula lateral acompanhando o movimento da coluna.

O simples ato de alongar a coluna, mandando a pelve para longe, especialmente a borda superior, criando espaço entre a crista ilíaca e a costela, é um excelente trabalho de organização de tronco e percepção corporal. Balançar a pelve nesse plano frontal trabalha bastante com a musculatura abdominal que se responsabilizará por elevar essa cintura solo, juntamente com um trabalho bacana de quadrado lombar atuando excentricamente na subida e mais várias ações musculares. Ver também http://pilatespaco.blogspot.com/2007/11/para-experimentar-estabilizao-em.html
Além disso, teremos a oportunidade de trazer à consciência a mobilidade das articulações da pelve incentivando a contração e relaxamento da musculatura do assoalho pélvico.

Vejamos, quando eu relaxo e deixo a coluna flexionar, os ísquios se afastam , tendendo a alongar a musculatura pélvica. Quando mando a pelve para longe procurando alinhar as cristas ilíacas de cima e de baixo, abrindo espaço entre a crista e as costelas de cima, eu aproximo os ísquios mandando o de cima em direção ao de baixo. É como se aproximássemos os quatro pontos do fundo da pelve – ísquios, cóccix e púbis. Incentivar essa percepção promove fortalecimento, relaxamento e, principalmente consciência da região.

Sugestão:
Considerando uma postura inicial em decúbito lateral no solo organizada com aquela posição de pernas à 90º, vamos fazer a flexão e extensão das pernas flexionadas.
Eleve um pouco a perna de cima e mande o joelho longe criando espaço desde o topo da cabeça até ele. Cintura de cima aberta, cintura de baixo flutuando. Borda da escápula e trocânter do fêmur pensam em se aproximar.
Inspire suavemente e, enquanto expira vá riscando seu joelho no ar estendendo seu quadril enquanto naturalmente incentiva a aproximação dos ísquios e eleva seu assoalho pélvico. Utilize sua musculatura abdominal para manter a relação entre constelas e bacia, entre esterno e púbis. Sua coluna se mantém longa e o sacro escorrega para baixo enquanto o fêmur se desloca para trás. Trabalharemos em oposição à tendência da coluna da coluna de entrar em hiperlordose.

Enquanto inspira, relaxe seus flexores do quadril enquanto a o fêmur volta para a posição inicial. Pense em seu fêmur cavando dentro da bacia e no assoalho pélvico cedendo enquanto você relaxa essa musculatura. Pense em mandar os ísquios, especialmente o de cima, para longe. A tendência nesse momento é que a coluna entre em flexão, então é importante deixar os eretores espinhais ativos para manter a coluna neutra, a lordose lombar preservada.

Depois de estudar o movimento, repita algumas vezes de maneira fluida deixando que a organização aconteça de uma forma natural. Imagine que sua perna é um pêndulo, relaxe bem sua articulação do quadril. Quanto mais relaxada, menos esforço será necessário para estabilização.
Outras variações.

Numa situação diferente, podemos utilizar as máquina: gosto especialmente da flexão lateral na cadeira.
Sugiro inicialmente que façamos ao aluno o desafio da posição inicial. A proposta é a mesma com duas grandes variantes: a enorme diminuição da base de apoio, pois não teremos mais a mãe terra para nos apoiar, estaremos flutuando; e o braço da base entrará em ação recebendo a descarga de peso. É preciso acoplar nossa escápula no gradil costal ativando suavemente o compasso braço-tronco. Veja também http://pilatespaco.blogspot.com/2009/12/o-compasso-tronco-braco.html
Atenção ao punho para não flexioná-lo demais, procure colocar sua mão algo mais escorregada para frente do pedal suavizando a flexão, Não queremos nos pendurar em estruturas passivas (ligamentos, articulações) mas nos organizar com as ativas (músculos).
Especial atenção para a cabeça, o ideal é, inicialmente, fazer na frente de um espelho. Existe uma tendência em querer flexionar o pescoço. Relaxe e deixe que ela pese no ar como se estivesse boiando de lado no mar. Eu pessoalmente experimento uma sensação agradável no pescoço nessa posição.
A partir dessa organização bem feita, vários exercícios podem ser realizados: side kicks, abução, lateral flexion entre outros.

É isso aí, experimentem e vamos trocar idéias!


Organizando o movimento através da busca de congruência articular

matéria escrita pela profª de Educação Física Silvia Gomes através do blog Pilatespaçohttp://www.educacaofisica.com.br

Olá pessoal!
Mês passado tive a felicidade de participar de um curso excelente e que eu sempre quis fazer: o Coluna Avançada da Polestar, ministrado pelo Brent Anderson (o presidente desta instituição) e com o atencioso suporte, complementação e presença ativa da Taíra, a educadora da Physio que, geralmente, ministra o curso aqui no Brasil.
Foi excelente! Não apenas pelo conteúdo em si, exercícios, discussões, encontro e troca com outros educadores, mas por toda a filosofia que acompanha o trabalho do Brent e, consequentemente, da Polestar (setor de Educação da Physio Pilates).
Fiz diversas anotações na apostila, frases soltas, e fiquei me dando um tempo, digerindo, fazendo conexões com meus saberes, buscando outros materiais que me dessem suporte a tantas coisas que foram ditas, experienciadas e vivenciadas naqueles dois dias.
Entre as idéias uma que ficou insistentemente ziguezagueando na minha cabeça foi a da congruência articular. A congruência articular é o melhor encaixe que podemos proporcionar às nossas articulações seja em situação de repouso como deitados ou descansando, quanto em situações de movimento.
O questionamento pairava, num exemplo concreto, entre duas dicas que costumamos dar no estúdio e que, a principio, parecem ser opostas por estimularem diferentes ações e intenções de movimento. Vamos pensar no exemplo de um trabalho de pernas, o Feet in Straps, ou o Spring Leg Series.
Veremos frequentemente instrutores falando: “Mande a perna longe, risque as paredes, o teto” e, por outro lado, “Deixe o fêmur sinucar para dentro, pense no fêmur cavando na articulação”.


Um fato que já nos clareia a mente sobre as duas dicas e imagens, é o fato de que a lubrificação se dá pela ação combinada de compressão e descompressão das superficies que se articulam através da secreção de sinóvia (lubrax 4 do nosso corpo). Quanto maior a zona aonde isso ocorre maior e melhor a lubrificação. O movimento de delizamento articular também é importante espalhando a sinóvia como se untasse uma forma com óleo. A partir dessa idéia parece claro que, quanto maior a amplitude de movimento (ADM) dos nossos movimentos, maior será a qualidade de nossa lubrificação articular.
Por outro lado cabe associar essa idéia ao fato de que, a maior parte das lesões ocorre nos limites das amplitudes articulares. Trazendo ao desenvolvimento deste texto mais um comentário de Brent no curso coluna avançada: quanto maiores os músculos que entram em ação num determinado movimento, menor será a possibilidade de amplitude a ser alcançada.
Considerando que grande parte das pessoas que nos procuram são sedentárias, com histórico pobre de atividade física, seus músculos grandes, em geral, estarão encurtados. Lembrar que os músculos grandes são como grandes cabos ou tecidos elásticos que se inserem em pontos distantes gerando grandes alavancas. Desta forma sua entrada para a execução de grandes tarefas, sempre aumenta o risco de compensações, exigindo uma melhor consciência corporal para serem executados de maneira organizada.
Os musculos menores (também chamados locais) por sua vez, permitem uma acessibilidade mais efetiva a toda a articulação promovendo ganho de consciência corporal. Com uma melhor consciência sobre os locais aonde os movimentos acontecem (nas articulações), a entrada dos musculos grandes (também chamados globais) poderão ocorrer de maneira mais organizada, contribuindo no aumento da congruência articular.
A idéia é que a ação muscular, quando bem direcionada, tendo a resultante de força de seus vetores no centro das articulações, efetiva a compressão e consequente descompressão. Essa é a idéia do “cavar a articulação”, “sinucar o fêmur para dentro”. É a busca da congruência articular.
Estudos comprovam que quanto maior a carga sobre uma articulação (em situação de neutralidade) maior a sua rigidez . Desta forma o peso corporal e a gravidade, contribuem para a estabilidade e congruência articular.
Falando de nossa prática como instrutores, para promover no aluno a possibilidade de acessar sua melhor congruência nas diversas articulações, o que garantirá sua melhor saúde articular ao longo da vida é necessário proporcionar trabalhos diversificados.
Quando os alunos chegam até nós, geralmente vem em busca de orientação de movimento, em busca de uma postura mais organizada, de um ser corpo mais relaxado e confortável. Na maioria das vezes existem vários elementos em seu padrão motor que levam a contrações desnecessárias, compensações que geram tensão e muitas vezes dor.
Compensações, de maneira geral, são sinônimos de falta de congruência articular e falta de alongamento: os movimentos não estão acontecendo aonde deveriam acontecer e acabam arrastando outras partes do corpo de forma inadequada.
Desta forma é preciso, de certa forma, regredir, oferecer aos alunos experiências de movimento que permitam o despertar das sensações proprioceptivas, com movimentos com músculos menores em ação e menos risco de compensações. A partir daí, paulatinamente, aumentar os desafios para que haja uma reprogramação, uma novo processo de aprendizagem motora.
É preciso que os alunos compreendam que, mesmo nas grandes tarefas, a congruência deve estar presente através da sensação daonde o movimento ocorre. Desta forma otimizamos o gesto cotidiano livrando o corpo de compensações e dor.
É isso aí! O que vocês me dizem? Abraço, Silvia.

http://www.educacaofisica.com.br/blogs/pilatespaco/texto.asp?id=591

domingo, 9 de janeiro de 2011

Os benefícios do Bosu

Os benefícios do Bosu 
Imagem: Internet
O treinamento com o Bosu é de origem americana e caracteriza-se por ter como principal objetivo melhorar a condição física de cada participante em exercícios cardiovasculares, de força e flexibilidade.
O Bosu é um acessório que tem a aparência de uma bola cortada ao meio e é bastante requerido pelos estúdios por ser de fácil uso e pela versatilidade dos exercícios – ele possibilita flexões de braço, abdominais, pulos e todos os exercícios de Pilates.
Os exercícios praticados no bosu trabalham necessariamente com o alinhamento do eixo de gravidade para o equilíbrio. A conseqüência disto é a consciência corporal de quem pratica, além da melhora na coordenação, aumento da eficiência neuromuscular onde os músculos agonistas, antagonistas, neutralizadores e estabilizadores funcionam juntos durante a maioria dos movimentos.
O Bosu tem origem americana. Seu nome é uma sigla para “Both Sides Up” (Ambos Lados Para Cima). Ele pode ser usado tanto na parte plana quanto na parte oval. Daí a origem da sigla. De qualquer lado é preciso ter força para manter o equilíbrio durante o exercício.
Dentre os benefícios da prática do Pilates com o Bosu, estão:
- melhora na coordenação, no equilíbrio e na função neuromuscular;
- por exigir esforço muscular, os exercícios feitos no Bosu resultam na melhora da postura e dos movimentos funcionais;
- cria uma nova visão de consciência corporal, posicionamento do corpo, alinhamento postural e movimentos seguros;
- melhora a estabilidade do core.
Fonte: http://www.bosu.com.br/

Os benefícios da Prancha de Molas

Os benefícios da Prancha de Molas 
Imagem: Site Metalife Pilates
A prancha de molas é um equipamento bastante versátil e que oferece várias opções de exercícios – inclusive os clássicos do Cadillac e do Wall Unit. Por ser um aparelho compacto (ela é presa à parede por parafusos e não utiliza espaço no chão) é ideal para estúdios pequenos e até mesmo para ser instalada em casa.
Ela é composta por dois pares de molas, alças de mãos e coxas, e barra “Roll Down”.
A maioria dos objetivos deste aparelho se concentram no alongamento, na articulação e na estabilização da coluna vertebral, proporcionando um trabalho corporal completo – destacando-se especialmente por proporcionar exercícios para os membros inferiores e superiores.
Os movimentos podem ser realizados em várias posturas, melhorando o alongamento, o fortalecimento, o equilíbrio, a coordenação e a força muscular. Além disso, os exercícios realizados em pé na prancha de molas poderão auxiliar na correção postural e na mecânica da marcha.

Como o Pilates pode ajudar no tratamento do Mal de Parkinson?


Como o Pilates pode ajudar no tratamento do Mal de Parkinson?
Imagem: STOTT PILATES™
O Método Pilates apresenta muitos benefícios que visam à prevenção e a redução dos riscos de lesões, além de trazer alívio às dores crônicas – especialmente os problemas de coluna. A técnica abrange todo o corpo de maneira uniforme e busca fortalecer, equilibrar e alongar a coluna vertebral, proporcionando descompressão das tensões existentes.
Por isso, o Pilates é uma técnica muito indicada para a reabilitação de pacientes com mal de Parkinson – uma doença neurológica que se caracteriza principalmente pela lentidão dos movimentos, rigidez muscular global e tremores em áreas específicas do corpo, ou mesmo generalizados. Ainda há a possibilidade de o paciente apresentar alterações e desequilíbrios na postura, dificuldades na fala e movimentos.
Uma vez que os movimentos no Pilates são controlados, eles podem fazer uma enorme diferença para pessoas com mal de Parkinson – os sintomas podem ser retardados e até mesmo controlados. São melhoras que podem ser notadas muito cedo pelos próprios pacientes: o andar, o equilíbrio, a força muscular e o alongamento da musculatura rígida.
Em seu trabalho de conclusão de curso de formação na técnica de Pilates, as fisioterapeutas Jaqueline Mattos e Rosana Dutra definiram o método como uma ferramenta a mais para ajudar no tratamento contra o mal de Parkinson. Neste trabalho as alunas falaram sobre os benefícios que a técnica proporciona para quem sofre com estas disfunções dos padrões dos movimentos.
“Se os exercícios forem praticados de forma segura e correta, eles trazem muitos benefícios ao paciente”, garante Jaqueline Mattos.
A estimulação a prática deve ser feita com todo o cuidado, observando as especificidades de cada paciente, e acontecer o quanto antes. Os exercícios de solo ou com a utilização de aparelhos e acessórios, contribuem para a manutenção do equilíbrio da consciência e da movimentação corporal e minimizando os sintomas.
“O mais interessante do Pilates é o tratamento de reeducação neuromuscular. Os aparelhos permitem que a gente simule as atividades funcionais cotidianas, como agachar, sentar, de forma confortável para o paciente”.
Apesar de nenhuma pesquisa ter sido feita para comprovar que o Método Pilates ajuda na redução dos sintomas do Parkinson, o trabalho das estudantes teve respaldo em estudos de caso: um número cada vez maior de pacientes diz se sentir aliviado após a prática dos exercícios de Pilates.
Fonte: http://diriodacarol.blogspot.com