Loading...

quinta-feira, 31 de março de 2011

Os benefícios da Faixa Elástica



Os benefícios da Faixa Elástica Imagem: Internet
A Faixa Elástica é um acessório bastante comum no Pilates. Sua função é promover exercícios de resistência, podendo ser usada por praticantes de qualquer nível. Ela está disponível no mercado em diferentes resistências, tamanhos e cores.
As de resistência mais suaves são indicadas para iniciantes e pessoas com o tipo físico intermediário. Existem outras que oferecem mais resistência para proporcionar mais trabalho aos músculos.
Além de promover a melhora na flexibilidade, a Faixa Elástica pode ser usada para exercitar, tonificar e fortalecer todo o corpo. Usá-la no seu treinamento proporciona inúmeras vantagens, veja algumas delas:
- Pode ser utilizada em qualquer lugar – você pode levá-la para a praia, para o parque, para o trabalho (diferente de alguns aparelhos);
- Oferece apoio para os membros – isto significa que suas pernas e braços são apoiados em vez de apenas suspensos no ar;
- Facilita alguns exercícios;
- Fortalece e alonga os músculos;
- Oferece resistência extra – mais efetiva do que os exercícios de solo por conta própria.
Fonte: http://www.loselovehandleshowto.com/
Fonte: Revista Pilates

quarta-feira, 30 de março de 2011

A importância da respiração na execução dos exercícios de Pilates



A importância da respiração na execução dos exercícios de Pilates Imagem: Internet
No Método Pilates a respiração é essencial, de fato é um de seus princípios chave já que ajuda a controlar os movimentos, permite oxigenar os músculos, facilita a estabilização da coluna e a movimentação dos membros (outro conceito fundamental no Método Pilates) e ajuda a relaxar a musculatura e estar ciente das tensões acumuladas por todo o corpo.
A respiração é parte integral de cada exercício de Pilates, sendo sempre coordenado com o movimento de tal maneira que contribui com a direção da energia para a zona que se está trabalhando. Também, uma técnica de respiração adequada aplicada durante os exercícios de Pilates ajuda o relaxamento muscular, evitando qualquer estresse desnecessário. Por isso cada sessão de Pilates começa com alguns minutos de sensibilização na respiração para poder tomar consciência das tensões distribuídas pelo corpo e ajudar relaxar a musculatura.
O Método Pilates enfatiza a importância de manter a corrente sanguínea estabilizada. Por isso, para que a forma de respirar esteja correta, considere que a expiração deve ser forte, seguida de inspiração profunda, permitindo preencher os pulmões de ar. Quando os pulmões inalam o oxigênio eles permitem a oxigenação de cada célula através da corrente sanguínea.
Durante a execução dos exercícios de Pilates, o método utiliza uma técnica de respiração especifica que permite não somente liberar o corpo de toda a tensão desnecessária (em particular no pescoço, ombros e costas), também fazendo com que os abdominais transversos sejam trabalhados na inspiração e na expiração.
O método respiratório do Pilates permite ativar corretamente os músculos abdominais transversos conseguindo assim manter estabilidade na região lombar durante a execução dos exercícios. Com a finalidade, o método Pilates utiliza a respiração torácica ou respiração diafragmática intercostal.
O objetivo deste tipo de respiração é utilizar os músculos do tórax e das costas para ampliar a caixa torácica lateralmente permitindo assim que os pulmões se expandam, mas, sem a necessidade da expansão do abdômen. Ao expandir o abdômen durante a respiração os músculos abdominais se alongam deixando de sustentar a parte baixa das costas deixando-a desprotegida. Por isso o método Pilates enfatiza uma respiração que evite a expansão abdominal.
No Pilates, durante a respiração, é executada a inspiração pelo nariz e a expiração pela boca. Durante a inalação as costelas se abrem fazendo força para fora e para cima, ao mesmo tempo em que a coluna vertebral é esticada, preenchendo os pulmões de oxigênio. Ao inspirar é muito importante não relaxar os músculos abdominais, para evitar perder o alinhamento postural, e cuidar para não utilizar os músculos inadequados durante a execução dos exercícios.
A expiração, por sua vez, facilita a contração dos músculos abdominais, já que anatomicamente ocorre a redução da caixa torácica “para dentro e para baixo”. Ao praticar o processo de expiração o diafragma se eleva gerando assim um “empurrão” dos músculos abdominais para dentro, no qual cria um centro de energia forte, que é fundamental para o processo de estabilização.
A respiração deve ser lenta durante todo o momento, sempre de forma contínua, e procurar realizar inspirações e expirações de mesma duração para permitir o bom “intercâmbio” entre oxigênio e dióxido de carbono em todo o corpo. Como regra geral, no Pilates, a duração das inspirações e expirações variam em função do nível do aluno, sendo recomendado três tempos de inspiração e expiração para alunos principiantes, cinco tempos para alunos de nível intermediário e oito tempos para alunos avançados.
Aqui vamos apresentar um simples exercício para começar a se familiarizar com a respiração do método Pilates. Para realizar o exercício, é recomendado sentar-se confortavelmente de forma que fique relaxado em uma cadeira mantendo os pés apoiados no chão e separados da cadeira com a mesma distância. É muito importante manter as costas retas, com a coluna vertebral bem esticada e deixar os ombros leves e relaxados.
Além disso, o alinhamento do pescoço em relação à coluna é importante, deve-se aproximar o queixo ligeiramente em direção ao peito, imaginar que esteja segurando uma bola de tênis entre o queixo e o pescoço. Assim alinhar corretamente as vértebras cervicais e sentir o pescoço esticado ao limite máximo para trás.
Uma vez que esteja confortável nesta posição, deve-se colocar as mãos sobre suas costelas de tal forma que as pontas dos dedos se toquem entre elas. Feche seus olhos e comece tomando consciência da respiração colocando toda a sua atenção em tentar não mover seu peito ou abdômen.
1 – Inspiração:
Inspire pelo nariz continuando a contrair o abdômen. Observe como o oxigênio entra na caixa torácica e, com ele, como suas mãos se separam pela ação da abertura das costelas.
2 – Expiração:
Expire pela boca ativando bem seus músculos abdominais como se tentasse levar o umbigo até a coluna vertebral. Para isso imagine que seus músculos, na base da pélvis, abdominais e umbigo estão unidos por um zíper. Sente como se fechasse para cima este zíper ao expirar.
Realize uma série de 10 a 20 respirações mantendo-se relaxado, os efeitos logo serão notados.
Fonte: planetapilates.com

terça-feira, 29 de março de 2011

Respiração e concentração no Pilates

"Todos nós temos problemas e obstáculos na vida. As vezes é difícil se concentrar de verdade em uma atividade, mas quando fazemos isso, nossa mente se torna mais clara e relaxada. Contar as respirações até 10 ajuda muito"




Professora Andréa Elaine Sechini em curso sobre a repiração e concentração no Pilates

sábado, 26 de março de 2011

Mudanças Estrutuais na coluna

"Mudanças estruturais (leia-se desarranjos posturais) na coluna são tão prováveis em assintomáticas quanto em pessoas com dor lombar e perda de movimentos"

Trecho extraído do livro Back stability: integrating science and therapy por Christopher M. Norris do estudos realizados pela professora Andréa Elaine Sechini

A Intensidade da Atividade Física

"De maneira geral, os exercícios físicos são critérios de contração muscular (isotônicos ou isométricos), deslocamento do corpor (dinâmicos ou estáticos), continuidade do esforço (contínuos ou com intervalos), fonte energética (aeróbicos ou anaeróbicos), ou de acordo com a intensidade dos esforços (suaves ou intensos).
Do ponto de vista médico, a clasificação mais importante é a que considera a intensidade dos esforços. Quanto mais intensa a atividade, maior a necessidade de aptidão, saúde e condicionamento, pois são grandes os riscos de lesões músculoesqueléticas e intercorrências cardiovasculares nas pessoas que não estão devidamente preparadas"

Um mesmo exercício pode ser considerado de pouca intensidade para uma pessoa bem-condicionada e de muita intensidade, para outra com baixo nível de aptidão. Pessoas debilitadas ou doentes devem fazer apenas exercícios suaves, não importa a classificação da atividade. Por isso, é importante uma avaliação especializada antes de se iniciar uma programação de atividades físicas."

Estudos realizados pela professora Andréa Elaine Sechini
Fichamento extraído do livro IDADE BIOLÓGICA: COMPORTAMENTO HUMANO E RENOVAÇÃO CELULAR por Elina Guimaraes Pyhn

sexta-feira, 25 de março de 2011

Classificação das articulações

"Dentre as várias classificações existentes para as articulações, selecionamos duas para serem apresentadas neste estudo. A primeira diz rspeito ao grau de movilidade, e a outra, às características morfológicas e teciduais.

Classificação pelo grau de mobilidade
Esse é o tipo mais simples de classificação e distingue as articulações em três categorias, de acordo com a liberdade de movimentos:
  • Móveis ou diartrose - permitem moviment amplo, como as articulações do ombro, da coxa e do joelho.
  • Semimóveis ou anfiartroses - possibilitam movimentos limitados, como as articulações intervertebrais.
  • Imóveis ou sinartroses - não permitem movimentos ou permitem movimentos limitadíssimos, como as articulações dos ossos do crânio.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Os benefícios do fortalecimento da Caixa de Força II

  • Desenvolvimento de um corpo equilibrado: a abordagem de um treinamento integrado reforça os músculos do corpo como um todo, utilizando multiplos grupos musculares em cada exercício, recuperando músculos desequilibrados e preparando seu corpo para os movimento do cotidiano.
  •  Diminuição do volume indesejado: os exercícios tornam a silhueta mais alongada e diminuem o volume da circunferência abdominal
  • Ganho de amplitude de movimento: Você pode aliviar a rigidez e dor em seu corpo por meu da melhora da sua amplitude de movimento. Movimentos restritos e falta de flexibilidade iniciam o aspiral de descida que pode levar a uma lesão. O exercícios do Pilates ajudam a manter a flexibilidade e alongamento de todo o seu corpo, mesmo nos músculos encurtados há muito tempo.
  • Encontre sua respiração: Todos os exercícios de Pilates são coordenado com a repiração para fortalecer seu centro de força, purificando seu sangue, relaxando seu corpo e melhorando sua circulação. Além disso, o método Pilates fortalece os músculos em torno dos pulmões e melhora sua capacidade respiratória.
  • Melhora a vida sexual: O centro de força começa na área púbica, em uma área muscular conhecida como assoalho pélvico. Por meio do fortalecimento desses músculos, os quais também são contraidos durante o orgasmo, você poderá obter um aprofundamento e duração das sensações de prazer. O Pilates também proporciona uma ampliação e controle dos movimentos dos quadris, aumentando o seu vigor e dando-lhe recursos para receber e propriciar prazer ao seu parceiro de forma mais consciente e saudável.

fonte: estudos realizados pela Professora Andréa Elaine Sechini  do livro THE CORE STRENGTH WORKOUT por karon Karter

BENEFÍCIOS DO FORTALECIMENTO DA CAIXA DE FORÇA I

O treino Pilates com compreensão e prática da Caixa de Força Plena trará para você

  • Fortalecimento do centro de força: Com os exercícios, o centro de seu corpo, que começa no assoalho pélvico e se estende até a base do pescoço, se tornará forte, saudável, tonificado e pronto para os desafios do cotidiano.
  •  Aumento da conexão entre corpo e mente: Você irá conectar sua mente e seu corpo pedindo a eles que trabalhem em conjunto na execução dos exercícios de forma consciente e não mecânica. Consciência corporal é muito importante para tornar as mudanças corporais duradouras.A compreensão do seu corpo - suas falhas e potenciais - trará um resultado mais profundo e natural em todo o seu ser.
  • Melhora do senso de equilíbrio: A maioria das pessoas percebem o equilíbrio como algo dado.É só quando eles envelhecem ou sofrer uma queda que perceber o equilíbrio tem um papel vital em suas vidas diárias. Você melhorará sua capacidade de equilíbrio com os exercícios de fortalecimento da caixa de força, e em especial com aqueles em que usarmos os aparalhos de propriocepção.
Fonte: pesquisas realizadas pela Professora Andréa Elaine Sechini
livro: THE CORE STRENGTH WORKOUT Por Karon Karter

quarta-feira, 23 de março de 2011

POR QUE É TÃO GRANDE O NÚMERO DOS QUE SOFREM DA COLUNA VERTEBRAL?

"As causas mais importantes que contribuem para o sofrimento vertebral causando dor nas costas são:
  • Insuficiência muscular.  O dia-a-dia das cidades, eo corre-corre impedem as pessoas de se dedicarem ao esporte físico regurlarmente; além disso passamos a maior parte do tempo sentados, o que acarreta atrofias musculares do tronco, causa instabilidade vertebral e desarranjos articulares.
  • Traumas e microtraumas. Sofremos diariamente no trabalho, no transporte, no esporte ou no lazer, ao solicitarmos à nossa coluna vertebral esforços para os quais ela não está preparada, excesso de peso, obesidade, gravidez e impactos maiores ou menores que absorvemos diariamente. Os seres biológicos não estão adaptados para suportar impactos, que causam lesões diretas ou com efeito cumulativo. A soma de pequenas lesões fazem uma agressão maior ao sistema musculoesquelético.
  • Posição ortostática. O homem ainda não está completamente adaptado a esta situação, de modo que por muitas gerações ainda haverá um tributo a ser pago especialmente para a região lombar da coluna vertebral, pois os animais quadrúpedes obrigatórios sofrem menos processos degenerativos de suas colunas vertebrais.
  • Envelhecimento. Lamentavelmente o ser humano envelhece, é inexorávle que ocorram modificações estruturais nos sistemas orgânicos e o sistema musculoesquelético perde sua elasticidade e sua anatomia sofre deformidades com consequências importantes para a coluna vertebral.
  • Doenças Sistêmicas. existem doenças na regiões torácicas e abdominal que ocasionam dores referidas às costas. É necessário fazer o diagnóstico diferencial para separar uma dor visceral daquela do sistema musculoesquelético da coluna vertebral.
  • Tensões emocionais. O ser humano é essencialmente um ser emocional. Estamos sempre sujeitos às nossas emoções e tensões do dia-a-dia, assim um estresse repetido ou duradouro causa tensões musculares com prejuízo evidente para a nossa postura originando deformidade e dor."
fonte:Fichamento realizado pela professora Andréa Elaine Sechini do livro Dor nas costas nunca mais Por Ruy Mercúrio

domingo, 20 de março de 2011

FISIOLOGIA E HOMEOSTASE

"Os fisiologistas especializados em exercício estudam os efeitos do exercício nos sistemas orgânicos do corpo. Esses profissionais estão especialmente interessados nos complexos mecanismos de controle que preservam ou restauram a homeostasia durante ou imediatamente depois de períodos de atividade física muito intensa. Exercício, definido como qualquer usos significativo dos músculos esqueléticos, é uma atividade normal, com resultados benéficos. Entretanto, o exercício rompe a homeostasia. Exemplificando, quando músculos são trabalhados, a tempetura corporal central se eleva e aumentam os níveis de CO2 no sangue. Essas e muitas outra funções do corpo desviam-se rapidamente das "faixas normais" que ocorrem em repouso. Então, complexos mecanismos de controle devem ser "ativados" para restaurar a homeostasia."


ESTRUTURA E FUNÇÕES DO CORPO HUMANO Por Gary A. Thibodeau, Kevin T. Patton
Fichamentos do estudos em pós-graduação da  professora Andréa Elaine Sechini

Como se distribui a tensão em nossa coluna



"A coluna vertebral, em toda a sua estrutura, pode ser comparada a um edifício de ossos. É rígida na base sacra, junto aos ossos ilíacos, da bacia, e articula-se nos seus andares, ou sequência de vértebras. Esse princípio arquitetônico pode ajudrar a entender melhor toda a estrutura de sustentação do corpo humano.
A estabilidade intervertebral depende3 de ligamentos e de potente ação muscular, para se contrapor ao grande esforço de carga que recebe constantemente. As vértebras se sobrepõem num conjunto harmônico, e tirantes musculares de suspensão, numa sequência de curvas que se mantém com perfeita estabilidade. Mecanicamente, a coluna vertebral se comporta como uma dupla viga engastada, suportando cargas excêntricas e móveis. Como toda a viga que funciona nesse princípio, apresenta uma área em que predomina uma força de compressão e outra antagônica, força de tração, que mantém o equilíbrio com a primeira.Entre as duas se estabelece um ponto neutro, onde não existe tração ou compressão. É o ponto zero ou ponto neutro, de repouso. Este efeito dinâmico, sinérgio e antagônico, das duas forças é que determina a formaçãop determina a formação de caprichosas curvas de adaptação no sentido anterior-posterior. Nas transições entre os segmentos das curvas se estabelecem pontos de equilíbrio, onde são neutralizadas as cargas que recaem sobre a coluna. mantidas por firmes ligamentos
A descarga da força sobre a estrutura vertebral é distribuída da seguinte forma: - as forças de compressão recebidas pelo corpo incidem sobre os corpos vertebrais, e aos discos intevertebrais que se interpõem cabe a função de absorvê-las e distribuí-las; - as lâminas vertebrais recebem as cargas equilibradoras de tração, pela ação dos músculos e tirantes tendinosos e ligamentares, localizados posteriormente. Ao disco intervertebral, através de usa deformação elástica, cabe o importante papel de absorver a grande energia mecânica que incide sobre a coluna vertebral, os esforços mecânicos são reduzidos por estarem próximos do ponto neutro. "
COLUNA VERTEBRAL: SEGREDOS E MISTÉRIOS DA DOR Por Antonio Quintanilha
Fichamentos dos estudos realizados pela professora Andréa Elaine Sechini

terça-feira, 15 de março de 2011

FATORES PARA A FORMA FÍSICA

Existem vários fatores que ajudam a determinar o nível pessoal de forma física ao qual você deve aspirar.

  • idade;
  • peso;
  • habilidade;
  • cuidados com o corpo (você fuma, come bem?);
  • quão ativo você foi no passado;
  • tipo de atividade que você realiza atualmente;
  • existência de lesões.
  • genética

O que é forma física?

"Em termos básicos, estar em forma significa estar fisicamente ativo em um nível que você possa enfrentar as demanandas de sua vida sem ficar excessivamente estressado.

Se você deseja treinar para um determinado esporte, melhorar seu nível geral de forma física, simplesmente sentir-se melhor ou ter um corpo bonito e um bom desempenho, você precisa considerar seu nível atual de forma física antes de escolher qualque programa de exercícios. Forma física diz respeito a músculos fortes e tônicos, coração e pulmões eficientes e articulações flexíveis. Como um carro, um corpo bem "regulado" sempre lhe proporciona um fluxo adicional de energia quando é realmente necessário; porém novamente como um carro, seu corpo precisa se manter exercitando regularmente, caso contrário, logo voltará para sua condição menos eficiente.


Forma física, portanto, é um estado relativo e seus níveis variam de acordo com o esporte e outro tipos de atividade. Um nadador, por exemplo, apresenta um tipo diferente de forma física de um atleta."

Fichamento do livro FIQUE EM FORMA  de Tania Batisson feito por Andréa Elaine Sechini

sexta-feira, 11 de março de 2011

Depoimentos sobre Pilates Ritmos da Vida - Março

"Puxa vida, entrei no Studio Pilates Ritmos da Vida meio por acaso. Na época eu queria fazer uma atividade física diferente das academias convencionais, tava meio saturado do esquema malhação, azaração. Daí, fiquei sabendo da Andréa por um amigo. Ele disse que ela fazia um trabalho diferenciado e além disso era super gente boa. Eu surfo, e gosto de ser desafiado, mas gosto de saber que o profissional sabe o que faz, que ensina com segurança e resultado. Na primeira aula de Pilates com a Andréa, eu já sabia que estava no lugar certo. Estou com ela há dois anos e não pretendo parar"

Ricardo Santouro de Oliveira (28 anos, engenheiro e surfista nas horas de folga)

sábado, 5 de março de 2011

Compreendendo os planos do corpo

"A perfeita compreensão dos planos e eixos é imprescindível para o  entendimento dos movimentos articulares, bem como para posterior análise dos mecanismos de lesão e, consequentemente, elaboração das atividades cinesioterápicas que terão como objetivo restabelecer o equilíbrio estático e dinâmico de determinada articulação.

Os planos e eixos são definidos anatomicamente a partir da posição anatômica e, portanto, são ditos anatômicos e têm como referência a própria posição anatômica.
Porém, nos estudos cinesiológicos, devemos considerar os planos e eixos de execuçã  dos movimentos, que terão como referência a relação do movimento com o solo, o qual deverá respeitar com a maca, ou seja, cabeceira, pés e laterais.

Os planos são linhas reais ou imaginárias que dividem o segmento em duas hemipartes, nas quais descrevem a linha ou área de trajetória do movimento (TM).
Para estrutura corpórea trabalhamos com linhas imaginárias que dividem o segmento em hemipartes da seguinte forma: látero-lateral, ântero-posterior, crânio-caudal e oblíquas.
Os planos são classificados em quatro tipos: sagital, frontal, transverso e oblíquo."

Fichamento dos estudos realizados pela professora Andréa Elaine Sechini do livro MANUAL PARA ESTUDO DA CINESIOLOGIA  Por Carlos Alberto Fornasari

sexta-feira, 4 de março de 2011

Nas curvas de nossa coluna - ESCOLIOSE

"A escoliose é uma curvatura lateral da coluna e se constitui em um do seus mais frequentes desvios.
além da curvatura lateral, as vértebras sofrem uma torsão no eixo longitudinal, o que agrava as deformações que produz no tronco"

Ela é causada por múltiplas doenças do esqueleto ou do sistema nervoso, poprém a mais frequente é de causa desconhecida sendo, então chamada escoliose idiopática. Clinicamente a escoliose se manifesta pelas deformações que produz no tronco do paciente. Os sinais principais são: desnível dos ombros, escápula proeminente, assimetria da linha da cintura, saliência das costelas quando vistas de frente ou por trás e assimetria das mamas ou dos mamilos.
Como existem sempre curvas compensatórias no sentido contrário, a escoliose tende a se mascarar e é mais evidente quando o paciente inclina o corpo para a frente, manobra que deve ser pesquisada durante o exame clínico.

Além da alteração estética que produz, a escoliose, quando atinge graus elevados de deformidade, pode acarretar alterações pulmonares e mesmo cardíacas, quando não tratada a tempo. Compressões da medula espinal ou dos nervos podem também surgir nos casos extremos."
fonte: SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS Por Kauffman
fichamento dos estudos realizados pela Professora Andréa Elaine Sechini