Loading...

sábado, 4 de agosto de 2012

Resenha crítica do filme O Último Dançarino de Mao



Fiz essa resenha crítica do filme O Último Dançarino de Mao para um trabalho acadêmico, mas gostei tanto do filme que resolvi postar aqui, visto que em uma cena do filme os bailarinos treinam em um Studio de Pilates dos anos 70. Demais!!!
 
1.1  INTRODUÇÃO
O filme do cineasta Bruce Beresford é baseado numa história real, visto que o longa é a adaptação do best seller autobiográfico de Li Cunxin Adeus China: O Último Bailarino de Mao, de Li Cunxin. Esse drama narra a difícil vida de um jovem chinês que foi escolhido pelo governo comunista de Mao para ser um bailarino de nível, fazendo parte da Academia da Madame Mao. Contudo, quando Cunxin é indicado para uma bolsa nos EUA e entra em contato com a cultura ocidental capitalista, ele passa a questionar os valores e estilo de vida de sua terra natal. 

1.2  DESENVOLVIMENTO
O início do filme ocorre em 1979 com o personagem central chegando aos Estados Unidos para estudar na Companhia Houston Ballet, do Texas. Cunxin fica maravilhado e estarrecido com a paisagem urbana da América. No caminho do aeroporto para a casa do coreógrafo, ele admira os arranha-céus e lojas da cidade que se opõem a familiar paisagem rural da China. Na sequência, flashbacks o levam à província rural de Qingdao, onde ele vivia em condições de subsistência ao lado dos muitos irmãos e dos pais. Em uma das cenas mais comoventes do filme, o pai de Cunxin deixa de comer para que os seus filhos possam saciar a fome.
Aos 11 anos, sua vida muda para sempre quando é selecionado por um grupo de inspetores do governo para ir a Pequim e torna-se um bailarino na Academia Madame Mao. Porém isso não ocorre de forma simples, visto que os inspetores do governo avaliam todos os alunos de sua sala e informam a professora que não encontraram nenhum garoto a altura de ser enviado a Pequim. Eles já estavam de saída quando a jovem professora pede licença a um deles e chama-lhe a atenção para Cunxin, de modo que os inspetores possam avaliá-lo melhor. Assim, por meio do auxílio da sua jovem professora, ele é enviado para um árduo treinamento para se tornar um bailarino de elite. 
O filme retrata muito bem a difícil adaptação, longe dos pais e fadado a enfrentar uma dura rotina de aulas que incluem aulas de ballet, aulas de ginástica e aulas de política comunista. Mesmo o choro noturno de saudades é proibido sob ameaça de retaliação.
Em sua formação como bailarino, ele sofre as influências dos três tipos de aula, porém cada uma traz uma parte de sua formação enquanto ser que repercutirá para sempre na pessoa que ele se tornou. As aulas de Política Comunista se reduziam a uma espécie de adaptação ao regime de Mao Tse Tung, por meio da qual os alunos eram fortemente advertidos sobre  os perigos do capitalismo. Em um dado momento, a professora explica sobre o estágio no qual a China se encontra no desenvolvimento do sistema comunista, dizendo ser este o primeiro estágio. Então, um aluno pergunta a respeito de como seria o último estágio, sendo-lhe respondido que nessa última fase, a sociedade não teria classes. Cria-se uma verdadeira oposição entre a China-comunista e o Ocidente-capitalista, despertando a curiosidade acerca dos outros países, de forma que outro aluno pergunta como seria um país capitalista, quando os guardas e inspetores mentem dizendo que é um lugar horrível onde não há luz solar. Cunxim, então conclui que o ocidente deve realmente ser horrível.
As aulas de condicionamento são um cenário constrangedor para Cunxim, visto que frequentemente ele é humilhado devido a sua falta de força. Ele sofre muito por estar abaixo das expectativas do professor e da média de sua turma. Em um dado momento muito dramático, o professor passa da medida com ele, ofendendo-o moralmente, quando ele não consegue levantar-se sem a ajuda das mãos após abrir um espacate de zero grau no chão. Esse é um momento importante do filme, quando o personagem principal reage, embora timidamente,  recusando a aceitar a designação de “cretino” por não ter tido uma boa performance na execução do exercício.
Cunxim questiona o professor, que lhe manda provar o contrario dizendo “Se você não é um cretino, mostre-me sua força”. Em uma atitude desesperada, ele busca fazer exercícios depois do horário de recolhimento. Está treinando de forma descoordenada e sem técnica, quando é surpreendido pelo professor Chan, o querido professor do ballet, alguém que parece ter um filtro critico e profundo em meio à alienação produzida pela ditadura de Mao.
O professor Chan o adverte acerca do risco de se lesionar, ensina-lhe um técnica para executar os movimentos com mais facilidade e recomenda que para conquistar a leveza, ele deve antes se tornar forte. Cunxim passa a treinar com pesos extras e de uma forma mais intensa. Logo ele se torna realmente bom e passa a se destacar.
Em um outro momento importante da história, Cunxim ganha uma posição de destaque em uma coreografia apresentada a madame Mao. A coreografia é executada com esmero e perfeição, mas não satisfaz o ideal comunista, visto que a alta cúpula quer que o ballet seja mais um dos muitos veículos de propaganda política. Dessa forma, as coreografias teriam que ter como temática a Revolução Comunista, na sala onde essa nova orientação é decidida, figuram quadros de Marx, Eagles, Stalin, Lenin e Mao Tse Tung, como um plano de fundo para o Ballet Chinês.
Há uma discussão acirrada antes da decisão, na qual o professor Chan se posiciona de forma contraria a veiculação do comunismo no ballet, chegando a afirmar que o corpo do bailarino não suportaria duas orientações tão diferentes: a fluidez do ballet clássico francês em contrapartida à rigidez da causa comunista. Contudo, prevalece o ideal comunista e logo assistimos uma coreografia que retrata a Revolução Comunista e o Exercito Popular Chinês. Durante a apresentação o professor Chan verte lágrimas de pesar e angustia de ver o ballet convertido em instrumento de propaganda politica. O professor se afasta do ballet, mas antes se despede de Cunxim, dando-lhe um presente.
Anos se passam e a academia de ballet da madame Mao, recebe a academia de ballet de Houston, do Texas, com seu coreografo, diretora, primeira bailarina e primeiro bailarino para treinar junto com os chineses. Quando o coreografo americano observou os bailarinos chineses concluiu que eles estavam muito mais próximos a ginastas que a bailarinos. Porém, o físico e a técnica de Cunxim se destacam.
Os americanos pedem que o melhor bailarino vá para os Estados Unidos como bolsista, porém os inspetores demoram em decidir qual o mais apropriado, visto que além de precisarem escolher um excelente bailarino, também preocupam-se em selecionar  alguém que não ceda as tentações do capitalismo. O professor de ginástica, que antes havia criado complicações, agora indica Cunxim dizendo: “Se procuram coragem e determinação, não podem dispensar Cunxim”. Assim começa mais um ciclo de iniciações e oportunidades para o personagem.
Chegando aos Estados Unidos, aos poucos Cunxim passa a se dobrar frente as vantagens e atrativos do ocidente capitalista. Ele descobre que ao contrario das trevas anunciadas, nas aulas de politica comunista, havia muita fartura, divertimento e liberdade, claro para quem tivesse o dinheiro necessário para usufruir de tudo isso.
Paulatinamente, Cunxim vai se envolvendo de forma irreversível com seu novo habitat. Ele passa a frequentar danceterias, faz amigos e se envolve com uma bailarina em reabilitação física. Ao final da temporada, ele é avisado pelo cônsul chinês que deve retornar à China, mas ao saber disso resolve se casar com sua namorada americana e deserta, dando inicio a uma verdadeira crise diplomática que é resolvida após muito alarde, com a presença da imprensa e com auxílio de um advogado especializado em imigração.
Cunxim permanece na América, mas fica proibido de retornar à China e impedido de entrar em contato com sua família. Ele passa a sofrer de arrependimento e questionamentos morais por sua decisão, tendo preocupações recorrentes com seus pais que só tornará a encontrar muitos anos depois. Ao ficar na América, aceita a vaga de solista do ballet de Houston, tornando-se um bailarino de renome internacional. Apenas muitos anos depois é lhe permitido visitar a China, o que faz acompanhado da segunda esposa.

1.3  CONCLUSÃO

Este filme é de grande interesse para estudiosos de temáticas que envolvam a corporalidade, sendo a licenciatura em educação física uma dessas áreas. O filme enriquece nossa visão de mundo, já que nos mostra como diferentes culturas lidam com o corpo. Além disso, podemos observar como o corpo é passivo de ser produtor e depositório de conteúdos socioculturais. Temos oportunidades de questionar muitas coisas, tais como a forma de se escolher um individual apto para determinada técnica corporal mediante seu biótipo. Em que grau a aptidão física é decisiva para um atleta ou bailarino de nível. Por meio do filme, podemos pensar acerca dos procedimentos típicos de uma abordagem desenvolvimentista, tão questionada pela tradição humanística que orienta a Educação Física por meio das diretrizes do MEC.
Podemos refletir também sobre o rigor necessário e aceitável para produzir um atleta ou artista de nível competitivo. Além disso, o filme nos permite analisar intervenções e orientações pedagógicas diferentes: por um lado, os regimes políticos totalitaristas manejam os indivíduos e seus corpos como se esses fossem propriedades do Estado; por outro, o esporte e a arte tornaram-se um produto comercializável no ocidente.
Enfim, o filme é uma obra de arte que traz com profundidade e delicadeza temas de interesse técnico e humanístico para a Educação Física. Sua principal mensagem é que “para voar é necessário ser livre”, como diz um dos personagens. Cunxim sentia necessidade de liberdade política e de escolha para poder exercer sua arte com fluidez e perfeição. Embora tenha tido o início de sua carreira como resultante de uma abordagem tecnicista e desenvolvimentista, fruto de um regime totalitário, ele preferiu um estilo de vida e dança mais livre de amarras, porém com o mesmo nível de cobrança técnica.
.4 Informações Técnicas
Título no Brasil: O Último Dançarino de Mao
Título Original: Mao's Last Dancer
País de Origem: Austrália
Gênero: Drama
Classificação etária: 14 anos
Tempo de Duração: 117 minutos
Ano de Lançamento: 2009
Estréia no Brasil: 09/12/2011








Um comentário:

  1. Filme realmente muito bom! Parabens pela resenha. Estou fazendo uma para minha faculdade. Mas o nome do filme que você mais gosta não seria O ENIGMA de Kaspar Hauser?

    ResponderExcluir