Loading...

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Video do Dia 30 de janeiro - Ladder Barrel e Trapézio

FUNÇÕES DO ESQUELETO


O esqueleto desempenha várias importantes funções: suporte, movimento, proteção, estoque de minerais e formação de células do sangue (hemopoiese).

Suporte
O esqueleto atua como o arcabouço do corpo, dando suporte aos tecidos moles e provendo pontos de fixação para a maioria dos músculos do corpo.

Movimento
Pelo fato de muitos músculos estarem fixados ao esqueleto, e muitos ossos se relacionarem (articularem) por articulações móveis, o esqueleto  desempenha um papel importante na determinação do tipo e extensão do movimento que o corpo é capaz de fazer.

Proteção
O esqueleto protege de lesões muitos dos órgãos vitais internos. O encéfalo se encontra alojado na cavidade craniana, a medula espinhal no canal formado pelas vértebras, os órgãos torácicos estão protegidos pela caixa torácica, e a bexiga urinária e os órgãos reprodutores internos estão protegidos pela pelve óssea.

Reserva de Minerais
Cálcio, fósforo, sódio, potássio e outros minerais são estocados nos ossos do esqueleto. Estes minerais podem ser mobilizados e distribuídos pelo sistema vascular sanguíneo para outras regiões conforme sejam requeridos pelo corpo. Por exemplo, durante a gestação o cálcio é removido do esqueleto da mãe e usado no desenvolvimento dos ossos da criança, se a dieta da mãe não inclui quantidade suficiente de cálcio. Em virtude de seu grande conteúdo mineral os ossos podem permanecer  intacto por muitos anos após a morte.

Hemopoise (Formação de células do sangue)
Após o nascimento, a medula óssea vermelha de certos ossos produz as células sanguíneas entradas no sistema circulatório.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Depoimentos dos Alunos do Instituto Ritmos da Vida

"Eu havia feito uma mastectomia e me sentia muito mal. Minha auto-estima estava lá no chão. Antes eu era uma verdadeira rata de academia e depois da cirurgia andar na esteira já era difícil para mim. Foi a minha médica que me falou da Andréa e seu trabalho com o Pilates. Resolvi experimentar e já sou fã de carteirinha há 2 anos. Não penso em parar. O Pilates me devolveu confiança, auto-estima e um condicionamento que achava que nunca mais teria. Muito obriga Andréa e a todos do Instituto Ritmos da Vida! Realmente, vale muito a pena treinar com vocês!!" Margarete Luccetti (54 anos)
 (Imagem da Internet)

O REFORMER

Imagem da Internet

Esse aparelho multifuncional se utiliza de molas para acrescentar resistência aos exercícios propostos, sendo pereito para gradação adequada dos níveis de dificuldade dos mesmos. Ele possibilita a todo o corpo alongamento e fortalecimento.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

PREVENINDO LESÕES - DESCANSE!


Se após um treinamento intenso você não permitir que seu corpo descanse, os danos advindo do esforço físico não são reparados. Do mesmo modo,  os níveis de glicogênio não se recompõem. Então podemos compreender porque uma pessoa que corre muito, de forma intensa ou frequentemente acaba se lesionando. Visto que, por não respeitar o tempo necessário de regeneração causa mais desgastes às fibras do corpo que ainda estão funcionando adequadamente.  Como consequência as dores menores e aceitáeis se tornam mais agudas e intensas. Nesse ponto, temos mais fibras se rompendo do que se recuperando e em algumas regiões, a funcionalidade está comprometida. Conhecemos esse processo por lesão.
Evite lesões - Treine com consciência de seus limites -Alimente-se bem e DESCANSE!
Por Andréa Elaine Sechini

Como nosso corpo se adapta ao estresse

Imagem da Internet

"A maneira como o corpo se adapta ao treino e gradualmente se torna condicionado é umprocesso complexo e maravilhoso. Quando você estressa seu corpo durante uma corrida, na verdade está causando um estrago, em níveis microscópios. De fato, correr é lesionar o corpo. E se você pudesse entrar no interior das células após uma corrida, ficaria chocado com a violência: pequenos rasgos danificando as fibras musculares, tendões e ligamentos traumatizados por microrrasgos e puxões; o estoque de glicogênio, responsável pelo combustível dos músculos, esgotado.
É claro que você não pode ver tudo isso, mas pode sentir - na forma de cansaço muscular e dor nas articulações, geralmente no dia seguinte a uma corrida.
Somente o tempo e o descanso podem desfazer o estrago. Com tempo de recuperação suficiente, o corpo regenera as fibras musculares e restaura os níveis de glicogênio. O processo normalmente requer cerca de 2 dias. Se precisar mais do que isso, é porque você exagerou. Quando a regeneração se dá de forma completa, algo maravilhoso acontece: o corpo está mais forte do que antes e se tornou apto a lidar com umestresse maior, ou seja, mais corrida.
Repita esse processo o número suficiente de vezes e sentirá o "efeito do treinamento", ou "supercompensação". Os músculos, as articulações, os ossos, os tendões e os ligamentos se tornarão mais fortes e capazes de aquentar mais estresse. Chame do que quiser, ms em termos leigos significa que você está ficando em forma"
Fonte: fichamento feito pela professora Andréa Elaine Sechini do livro
GUIA DE PREVENÇAO E TRATAMENTO DE DORES E LESOES de  DAGNY SCOTT BARRIOS

Bom dia vida! Senhor Antonio fazendo sua caminhada matinal...no reformer Pilates

Esse velhinho (meu pai) vai longe ! Um exemplo de vida!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Cenas do Treinamento do Senhor Antonio

Nos vídeos abaixo o Senhor Antonio (72 anos) pratica Pilates no Reformer com sua cadelinha Dachshund. Ele sofre de efisema e problemas pulmonares e o médico receitou caminhadas diárias. Após refletir sobre o trânsito, poluição, violência e condição das calçadas, ele resolveu iniciar um programa semanal de Pilates. Vamos acompanhar a evolução dele! E continue acompanhando, pois esse é apenas o começo!

domingo, 22 de janeiro de 2012

ANDAR X CORRER E O PAPEL DO IMPACTO NAS LESÕES DE JOELHO


 "Se o movimento repetitivo é a força por detrás das lesões por excesso de uso, por que então as pessoas não se lesionam ao andar? Afinal, as pessoas andam o dia todo, dão milhares de passos; às vezes, percorrem muitos quilômetros- quase sempre sem nenhuma lesão.
Geralmente, andar não causa lesão porque não gera as mesmas forças dentro do corpo e essas forças exercem umpapel vital na equação da lesão por excesso de uso. A força é multiplicada de 3 a 6 vezes. Esse múltiplo varia dependendo do terreno- se é plano ou inclinado. Correr em declive, por exemplo, é mais interessante. Também depende do comprimento da pisada (pisadas mais longas resultam em mais força)."

Fichamento realizado pela professora Andréa Elaine Sechini do livro
GUIA DE PREVENÇAO E TRATAMENTO DE DORES E LESOES de DAGNY SCOTT BARRIOS

sábado, 21 de janeiro de 2012

COMPENSAÇÕES Podem gerar lesões nos corredores

"É um efeito indireto do agravamento repetitivo. Quando a pisada normal da corrida resulta em dor, o corredor altera sua pisada para reduzir o desconforto.
Essa mudança na marcha pode ser consciente ou não - o fato de você pensar que não mudou sua pisada não significa que não a tenha mudado. Por exemplo, você pode pensar que está ignorando uma dor na base do seu dedão, mas, na verdade, seu corpo a está compensando ao apoiar o pé de maneira um pouco diferente para evitar colocar pressão na área dolorida. Qualquer mudança na sua pisada normal pode resultar em novas dores que podem, com o tempo, se tornar grandes lesões. Mesmo uma mudança imperceptível, apenas um milímetro de diferença, causa maior estresse em outras partes do pé, tornando-as suscetíveis a mais lesões."

Fichamento feito por Andréa Elaine Sechini do livro 

GUIA DE PREVENÇAO E TRATAMENTO DE DORES E LESOES de DAGNY SCOTT BARRIOS

COMPREENDENDO CIENTIFICAMENTE AS LESÕES DO CORREDOR


"Um único passo. Eis o componente mais básico da corrida. Não há nada demais nisso. Correr é só dar um passo após o outro. Mas já pensou em quantas vezs você pede para seu corpo reperir essa simples ação durante uma corrida? A seguir, um pouco de matemática para abrir seus olhos.
Um corredor comum percorre de 0,70m a 1,3 a cada passo. Isso resulta em um cerca de mil a 2 mil passos por 1,5 km. Em uma corrida típica de 8 km, cada perna terá se movimentado de 2,5 mil a 5 mil vezes. Então, um corredor que percorre 8km 5 dias por semana irá apoiar-se em cada perna de 650 mil a 1 milhão e 300 vezes ao ano. Esse cálculo é apenas para alguém que percorre 40 km por semana. Um corredor treinando para uma maratona e percorrendo 80 km por semana facilmente tocará no solo, por perna, masi de 2 milhões de vezes a cada ano.
Ao longo de toda sua vida de corredor, quantas vezes cada uma de suas pernas irá tocar o solo? Bem, você sabe o quanto ocorreu a vida toda, então faça as contas. É comum um corredor de carreira ter dado dezenas de milhões de passos, literalmente.
Um pouco chocante, não? Analisando dessa forma, não é surpresa ver que a maioria dos corredores sofrerá alguma lesão no final das contas. De fato, os pesquisadores estimam que as lesões atinjam de 25% a 50% de todos os corredores, por ano.

As lesões típicas de corrida não são iguais as do futebol ou do esqui. Metade dos corredores sofre lesões todo ano, mas a maioria não tem de ficar engessado. Definitivamente, as lesões de corrida são menos graves, porém mais insidiosas. Muitas lesões de corrida são sequer perceptíveis ao andar ou ao fazer outras atividades corriqueiras. Elas só se fazem quando você começa a correr. Em corrida, as lesões se originam principalmente naqueles pequenos passos - naqueles milhões de pequenos passos - somando-se às forças que, a certa altura, agravam algum elo da corrente estrutural que forma a marcha na corrida. Outros fatores que contribuem para a ocorrência de lesões incluem a maneira como o corpo se adapta ao desgaste, ao peso de cada pisada e à força muscular necessária para colocar um pè após o outro em um trote.

EQUAÇÃO DA LESÃO
EXCESSO DE USO: Roger Kram, Ph.D., dedicou a vida ao estudo da pisada humana, comparando-a com o gingado do pinguim e a pisada do elefante. O dr. Kram é professor de cinesiologia e de fisiologia aplicada na Universidade de Colorado, em Boulder, e sua pesquisa sobre biomecânica - literalmente, como o corpo se movimenta - o levou ao estudo extensivo de corredores de longa distância.
O dr. Kram explica o fenômeno das lesões crônicas em corrida, também chamadas de lesões por excesso de uso, desta forma: "Enquanto esforços maiores tendem a causar mais lesões, a maior parte das lesõe típicas da corrida é causada por esforços pequenos, mas "errados", que são repetidos múltiplas vezes".
Em suas aulas, o dr. Kram pde para que os alunos arranhem a parte de trás da mão com a unha. Sem problemas. Depois, ele pede para os alunos arranharemnovamente, dessa vez, com força. Dói um pouco, mas não é nada demais. Por fim, ele pede que os alunos arranhem levemente de novo, mas que repitam essa ação durante 1 minuto. A essa altura. "começa a sangrar", diz o dr. Kram.
Esforço pequeno, muitas repetições - aí está uma lesão por excesso de uso. Qualquer movimento leve que envolva esfregar, puxar ou esticar - mas que seja multiplicado muitas vezes - pode prejudicar o tecido muscular, o tecido conectivo e até o osso. Tais lesões normalmente mandam um aviso de perigo. Surge uma pequena dor, que vai crescendo com o tempo, até chamar a atenção.  Quanto mais cedo o corredor reconhece o problema como algo que precisa ser tratado, melhor para ele, pois a lesão permenecerá pequena. É por isso que é de vital importância que os corredores se aperfeiçoem na arte de "escutar" o que o corpo diz."
Fichamento realizado pela professora André Elaine Sechini do livro Guia de Prevenção e Tratamento de Dores e Lesões - Editora Gente - autora Dagny Scott Barrios.

Aprofunde seus conhecimento sobre a corrida no próximo post.

FLOR DE BOAS VINDAS NA PORTA DA RECEPÇÃO

Gente, veja só que coisa mais linda a flor dessa plantinha!

Cenas do Dia - Detalhes do Pátio - Elefante no Jardim

Já que traz sorte colocar um elefante de costas para a entrada do imóvel, nós resolvemos colocar alguns espalhados pelas plantas. Combinaram super bem! Desejamos um excelente 2012 para todos!
 
CONHEÇA NOSSAS VANTAGENS
ESTACIONAMENTO INTERNO E GRATUITO
60 METROS QUADRADOS DE STUDIO
VENTILAÇÃO SEM AR CONDICIONADO
STUDIO RESERVADO E SEGURO (LONGE DA RUA)
MAIS DE 20 APARELHOS DIFERENTES
PROFESSORES POS-GRADUADOS EM EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA
ESPECIALISTAS NO MÉTODO

AGENDE UMA AULA PELO 4226-2193 OU 8183-2342

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

CONQUISTE FORÇA, RESISTÊNCIA E ELEGÂNCIA

ESTACIONAMENTO INTERNO E GRATUITO
60 METROS QUADRADOS DE STUDIO
VENTILAÇÃO SEM AR CONDICIONADO
STUDIO RESERVADO E SEGURO (LONGE DA RUA)
MAIS DE 20 APARELHOS DIFERENTES
PROFESSORES POS-GRADUADOS EM EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA
ESPECIALISTAS NO MÉTODO

AGENDE UMA AULA PELO 4226-2193 OU 8183-2342

Ganhe postura e condicionamento com Pilates



Por Vivian Reis
Foto: Pilates Sudio Fit

Exercício ajuda quem tem dores lombares e articulares.

O Pilates se mantêm com grande visibilidade entre os adeptos das atividades físicas em função dos bons resultados que apresenta. Indicado até para aqueles que sintam dores lombar e articulares, a modalidade pode ser feita sem riscos de lesão na medida em que trabalha a postura, a respiração e o condicionamento físico em geral com total segurança. “Um dos principais atrativos do Pilates é que ele pode ser praticado por qualquer pessoa. É indicado a partir dos oito anos de idade,   desde que a pessoa consiga ter o controle sobre a respiração e saiba contar, pois estas são habilidades necessárias para os exercícios”, explica Beatriz Amora, fisioterapeuta especialista em Pilates.
E engana-se quem pensa que o Pilates só pode ser feito de forma lenta. Tradicionalmente isto é uma realidade criada por Joseph H. Pilates para auxiliar o condicionamento físico do exército alemão nos idos de 1918. Mas o método foi, ao longo dos anos sendo adaptado por professores de educação física e fisioterapeutas, de modo que hoje é possível realizar circuitos com objetivos mais aeróbicos, capazes de ajudar na perda de peso.

Grau de dificuldade

Beatriz Amora Fisioterapeuta diz que, o Pilates existe em três diferentes graus de dificuldade: iniciante, intermediário e avançado. “Lógico que há exercícios que poucos alunos conseguem fazer, pois estes exigem um equilíbrio maior e também mais força muscular, e isso só se alcança com algum tempo de treinamento capaz de deixar o corpo do aluno mais estruturado para tarefas mais desafiadoras. O Pilates possui etapas e você nunca vai poder montar uma aula avançada para um aluno iniciante”, coloca a fisioterapeuta.
Em função destes ‘degraus’ de aprendizagem, a modalidade oferece uma segunda característica bem própria: as aulas são totalmente individualizadas. Desta forma, diferente do que se observa em academias de musculação nas quais um único instrutor dá suporte a vários alunos, durante uma aula de Pilates dificilmente será visto mais de três ou quatro pessoas sob a orientação de um único professor. “Em casos nos quais a turma esteja bem adiantada, é possível colocar no máximo quatro alunos por horário. Isto acontece porque o professor precisa estar sempre acompanhando diretamente os seus alunos, tanto que é comum ver que algumas turmas passam anos com um mesmo professor”, acrescenta Beatriz.
Outra coisa que chama a atenção nesta atividade são os aparelhos utilizados durante as aulas. “Os equipamentos foram criados pelo  próprio Joseph Pilates, especialmente para a modalidade. São aparelhos anatômicos, robustos e resistentes que suportam uma carga de peso muito alta. Como são fabricados de madeira maciça e aço inox, pode-se dizer que são feitos para a vida inteira”, finaliza.

Fonte: Verão infonet

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O Pilates facilita o processo de ventilação interna


 
Por Rafaela Porto
Instrutora Certificada STOTT PILATES
Coordenadora Técnica da Pilates StudioFit
 
Foto: Pilates Studio Fit

Veja como o Pilates pode influenciar na estrutura do sistema ventilatório:
O sistema ventilatório é formado por bombas e tubos que levam o oxigênio e retiram o gás carbônico dos pulmões, de uma maneira mais eficiente possível.
A ventilação pulmonar é um processo realizado pelo sistema nervoso, por meio de estruturas centrais e periféricas, atendendo as necessidades do organismo, com a expansão e a retração da caixa torácica e pulmões, com a troca gasosa, (absorção do oxigênio e a eliminação do gás carbônico).
Em condições normais este processo é espontâneo. É importante manter o tempo inspiratório adequado para garantir o volume de expiração, freqüência respiratória e manutenção da abertura dos alvéolos.
Por isso a grande importância de respirar apropriadamente durante uma sessão de Pilates, e porque não durante toda sua rotina de vida diária?
Elementos do sistema ventilatório:
1. Diafragma: É a principal bomba que funciona como um gerador de força.
2. Músculos intercostais e acessórios: desempenham um pequeno papel na expansão da caixa torácica durante a respiração. Estabilizam as costelas para que não sejam sugadas pela pressão gerada pela descida do diafragma.
3. Vias aéreas: possuem resistência significativa durante a inspiração e maior ainda durante a expiração.
4. Músculos abdominais: auxiliam na expiração, quando necessário, por contração ativa.
5. Elementos elásticos: parede torácica, diafragma, abdome e tecido pulmonar, que dão menos força quando alongados, durante a inspiração, e mais força para expulsar o ar, durante a expiração.
Ciclo ventilatório e a influencia do Princípio da Respiração no Pilates: 
Um ciclo ventilatório é composto de uma fase inspiratória (tempo inspiratório) seguida de uma fase expiratória (tempo expiratório).
O método resgata a importância da respiração. Devido à vida diária agitada, a maioria das pessoas passam a respirar mais rápido e de forma incompleta, ou seja, o ar não chega a atingir a parte inferior do pulmão, região onde as trocas de oxigênio são mais eficientes, isso explica o fato de inspirarmos pelo nariz e expirarmos pela boca (facilitando a ação dos músculos respiratórios como citado acima).
A respiração profunda na medida em que a ansiedade é reduzida, gera diminuição de dor muscular e aumento do rendimento em qualquer atividade física. Claro que não podemos esquecer-nos dos outros Princípios do Pilates, o praticante deve incorporar todos eles de forma global.
BOAS AULAS!

Benefícios do método Pilates para atletas de luta



Imagem: Internet
Tendo em vista todo o processo de treinamento pré e pós competição, as pressões do dia-a-dia seja no trabalho ou nas cobranças por resultados melhores, a prática do Pilates aparece como um meio de minimizar esses efeitos adversos e desenvolver uma melhora do bem estar-físico e mental, essenciais para a vida de um atleta (amador ou profissional).
Visando estimular a coordenação motora, consciência corporal e controle muscular, além de melhorar a circulação e oxigenação sanguínea, o condicionamento físico geral, flexibilidade e alinhamento postural adequado, o método Pilates torna-se uma excelente opção para o atleta, que por meio deste programa de exercícios, vivenciará a integração do corpo e mente, reduzindo as dores musculares, melhorando o equilíbrio muscular, controle e a força muscular. Atua como um todo, promovendo o alinhamento postural, que irá desenvolver a estabilização corporal fundamental na execução dos gestos esportivos.
Através da liberdade de criação de exercícios que são fundamentados através dos princípios do Pilates, o atleta pode realizar movimentos funcionais de seu respectivo esporte, aprimorando a técnica por meio deste método, unindo assim, o Pilates e o esporte!

Fonte: olutador.com

Pilates é uma atividade para homens?



Imagem: Internet
O criador do Método Pilates, Joseph Pilates, aplicou os seus ensinamentos e comprovou a eficiência do seu método justamente em homens reclusos nos campos de concentração na Inglaterra, durante a Primeira Guerra Mundial. Esses internos contemplavam melhor saúde e resistência física e não foram afetados pela Gripe Influenza que matou milhares de soldados em outros campos de concentração.
Embora a popularidade do Pilates tenha caído nas graças das mulheres, é importante lembrar que uma das características mais marcantes do método é a sua capacidade de atender às necessidades de adaptação do treinamento para os mais diversos tipos de público. Para qualquer sexo, idade ou nível de condicionamento físico.
A procura pelo Pilates vem aumentando cada vez mais, e atingem homens sedentários, atletas, executivos, jovens e idosos. Cada população tem um objetivo dentro do Pilates.
Durante a prática independente do grupo é preciso sempre respeitar os princípios, como “fechar” o abdome (umbigo em direção a coluna), concentrar na respiração, manter o alinhamento e fazer o movimento preciso e controlado. Dessa forma, redução de dores e melhor função muscular aumentam os desempenhos, sejam eles na vida diária ou nos desportos.
O método Pilates tem muito a contribuir na qualidade de vida do homem. Preconiza o desenvolvimento harmônico de todo o corpo, tornando-o forte e flexível, com movimentos fluidos e precisos, exigindo máximo controle tanto dos músculos mais superficiais como da musculatura profunda, proporcionando perfeita coordenação entre movimento e respiração. A ampliação da capacidade respiratória, a melhora da circulação sanguínea e o desenvolvimento de uma musculatura abdominal forte e bem trabalhada melhoram não só a qualidade de vida e a performance esportiva como ainda previnem lesões e eliminam dores, auxiliando na recuperação de problemas músculo-esquelético causados por sobrecarga, tanto pela pratica de esportes como pelas exigências das atividades do dia-a-dia.
  Sozinho ou aliado às outras práticas esportivas, o método Pilates já comprovou sua eficiência e ganha cada vez mais adeptos em todo o mundo. Se você ainda não experimentou, vale a pena conferir!

Fonte: Clube do Pilates