Loading...

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

O Pilates e a boa postura começando pelos pés

Por Rebeca Sodré
Fisioterapeuta
(CREFITO 120.411-F)
Professora do Curso ActivePilates Brasil, Especialista em Pilates, Aprofundamento em Pilates nas escolas Retrofit, Riverdalle e Stott Pilates.

Foto: stock.schng
Os apoios dos pés no chão condicionam uma boa estática e o apoio plantar deve ser um quesito importante levado em consideração nas aulas de pilates.
Os pés são a interface entre o solo e o corpo, e eles se adaptam aos movimentos da marcha, aos deslocamentos do corpo, as desigualdades do chão, as oscilações estáticas e eventualmente as deformidades dos segmentos suprajacentes. Esta adaptação, cuja finalidade é manter bons apoios, requer articulações perfeitamente móveis, nos três planos, comprimento muscular adequado e conscientização corporal.
O segmento pé – tornozelo é um conjunto proprioceptivo excepcional, pois recebem dos músculos, articulações e da pele muitas informações, incluindo o equilíbrio e ajuste postural na posição ereta. Juntamente com o captor ocular (olhos) é um elemento fundamental do sistema tônico-postural e pode ocasionar, se adaptar ou ambos aos desequilíbrios posturais.
Conscientizar o aluno aos seus apoios plantares trará informações úteis a ele em um trabalho futuro e não somente no momento da aula, mas também para na sua vida diária. Em primeiro lugar é necessário perceber quais são estes apoios, se há maior apoio de pé que outro; se o apoio está no antepé ou no calcanhar; e se o apoio de cada pé é no bordo interno ou externo. Após este primeiro exercício de percepção ainda é necessário compreender os quatro pontos de apoio dos pés: na parte posterior, as tuberosidades dos calcâneos posteriores internas e externas e na frente, as cabeças do 1º e 5º metatarsianos.
Na avaliação postural do aluno além de notar todos os pontos de apoio podal, qualquer tipo de variação neste segmento caracteriza o excesso ou deficiência de músculos agindo nos membros inferiores e no tronco. Estes quesitos serão importantes nos objetivos a serem traçados para a prescrição do exercício.
O pilates tem como um dos grandes benefícios a melhora da postura por meio de uma atividade dinâmica. Para corrigir os desalinhamentos iniciados pelos pés, nada melhor que uma atividade realizada de pé. A maior parte do tempo do nosso dia estamos em pé ou sentados, então como podemos corrigir desequilíbrios ascendentes realizando exercícios em decúbitos? Para tais correções, os exercícios devem ser realizados em ortostase.
Como o pilates dispõe de muitos exercícios temos uma ampla opção para trabalhar com os nossos alunos. Exercícios como o standing leg pump, foward lunge, side split, que são exercícios específicos para os membros inferiores, são ótimas opções para dar ênfase aos membros inferiores e aos pés. Mas como toda aula de pilates envolve o composto de concentração e coordenação, pode-se trabalhar também os membros superiores em ortostase sem esquecer o posicionamento dos pés.
Outra opção é o Standing Pilates – exercícios do solo que foram adaptados para a postura de pé. Trabalha-se a força o a alinhamento principalmente dos membros inferiores, as diferentes descargas de peso, a modificação dos apoios dos pés, em que se torna exigido em excesso a musculatura profunda dos pés, tornozelos e de todo o membro inferior.

Referências Bibliográficas:
Bricot, B. Posturologia
Bienfait, M. Os desequilíbrios estáticos
Breibart, J. Standing pilates

Fonte: http://revista.tudosobrepilates.com.br/2012/10/26/o-pilates-e-a-boa-postura-comecando-pelos-pes/
 

Hospitais adotam a prática do Pilates na reabilitação de pacientes

Centro de Reabilitação do hospital Israelita Albert Einstein

A partir do dia 19 de novembro, passa a funcionar o hospital RDOVIVER, localizado em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. O hospital apresenta, dentre os diferenciais, seu Centro de Reabilitação, que trabalha com método Pilates e conta com educadores físicos, fisioterapeutas, fisiatras nutricionistas e cardiologistas para atender aos setores do hospital: pacientes internados, pós-parto, pós-cirúrgicos, provenientes do centro de infusão, pacientes portadores de lesão crônica, doenças cardio-respiratórias, vasculares, reumáticas, ortopédicas, neurológicas, terceira idade e encaminhados de outros serviços, além de um espaço completo para check-ups. No espaço, oferece ainda a Ergoespirometria, avaliação cardio-vascular e pulmonar completa sob controle médico.
O Pilates também é opção para tratamento e reabilitação no Hospital Israelita Albert Einstein, localizado na capital de São Paulo.
O Pilates é atualmente um dos métodos mais procurados em academias por aqueles indivíduos que querem cuidar do corpo, da postura e da própria consciência corporal.
Atento às novas necessidades de seus pacientes, o Einstein já oferece Pilates no tratamento de diversos problemas do corpo e também para pacientes em reabilitação. Na Europa e nos Estados Unidos, a prática do Pilates em tratamentos de saúde é cada vez mais utilizada. Agora, os pacientes também podem contar com o método no Brasil.
“O programa oferecido pelo Einstein é excelente para pacientes que necessitam de fortalecimento, flexibilidade e estabilidade da coluna. Vimos que trazia esses benefícios e decidimos implantar no hospital como mais uma prática na busca de saúde e bem-estar”, explica a fisioterapeuta Simone Przewalla, uma das responsáveis pelo programa de Pilates da instituição.
O Pilates é recomendado para pacientes com alterações posturais, pós-tratamento ortopédico, pacientes com sequelas ou déficits neurológicos (causados por derrames cerebrais e doenças neuromusculares, como distrofias musculares, amiotrofias espinhais, Esclerose Amiotrófica, neuropatias, miastenias etc.), idosos, grávidas, crianças e adolescentes com problemas de postura e indivíduos com necessidade de fortalecimento global.
“Os exercícios de Pilates que praticamos aqui são basicamente os mesmos dos de uma academia. A diferença é que aqui na Reabilitação, o nosso paciente é acompanhado por um fisioterapeuta, profissional apto a lidar com alterações posturais, patologias e dores, condições típicas nos pacientes que buscam nosso serviço. Além de estar mais preparado para lidar com estas situações, o fisioterapeuta conhece a parte técnica em relação ao problema do paciente, visto que já o acompanha durante outras fases de seu tratamento”, explica Simone.
“Essa orientação sendo realizada por um profissional de saúde é fundamental porque considera as características e as necessidades de cada paciente individualmente. Só vem a contribuir com as práticas já utilizadas na reabilitação e é mais uma opção para os pacientes do Einstein”, afirma.
Fonte: PressReleasesBrasil.com / Einstein.br
Fonte de Pesquisa:  http://revista.tudosobrepilates.com.br/2012/11/08/hospitais-adotam-a-pratica-do-pilates-na-reabilitacao-de-pacientes/

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

08 de novembro: força e equilíbrio na cadeira


08 de novembro: equilíbrio na cadeira


08 de Novembro: Trabalho Lateal no Reformer


Cenas do Treinamento do dia 08 Novembro Chair


Cenas do Treinamento do dia 08 Novembro


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Sentir-se confortável na própria pele: isso é maravilhoso!


DO CENTRO PARA A PERIFERIA: DÁ CERTO COM QUASE TUDO...


Trabalho de Transverso abdominal em equipamento inovador...


A LIBERDADE É UM ESTADO DE ESPÍRITO


terça-feira, 6 de novembro de 2012

Trabalho para paravertebrais e membros superiores em Ladder Barrel


Ladder Barrel e Tensores Associados



Equilíbrio e Força sobre a bosu

"Melhorou muito minha pisada, dores nos joelhos e meus braços estão bem mais fortes"

Bosu e Pilates

Para mim, a bosu é um dos equipamentos melhor completam meu trabalho no Studio. Amo!!!

Pilates e Equíbrio

Amo tudo que me faz sentir mais presente  e ficar sobre o balancim sustentando pesos e tensores me propícia um estado de presença absurda!

Pilates e Equilíbrio

Hoje tirei umas horas da manhã só para estudar e praticar os exercícios de Pilates Studio voltados para o equilíbrio e propriocepção. São fabulosos...