Loading...

sexta-feira, 6 de junho de 2014

PRODUÇÃO DE ENERGIA HUMANA




"Uma das áreas relevantes no campo do exercício é o estudo da produção de energia humana. Pode-se melhorar muito a saúde e o desempenho físico por meio do treinamento, mas o tipo de programa mais adequado a ser desenvolvido exige uma boa compreensão sobre as demandas específicas da atividade a ser realizada, quais suas fontes energéticas e como se comportam.
O trifosfato de adenosina (ATP) é a fonte energética direta para a realização de trabalho biológico (contração muscular e outras atividades inorgânicas), mediante a quebra da ligação entre adenosina difostato (ADP) e fosfato inorgânico (Pi), de modo que ocorre a liberação da energia armazenada nesse composto.



Bioquimicamente, em torno de 50 a 55% da energia proveniente dos nutrientes é armazenada na forma de ATP, havendo a perda do restante na forma de calor. Quando o músculo utiliza a energia contida na ligação fosfato da ATP, ocorre nova perda, com a eficiência de acoplamento contrátil podendo ser considerada em cerca de 50%. Isso permite que,  no final dessa cadeia, a energia realmente aproveitada fique próxima de 25 a 30% daquela originalmente contida no alimento  ingerido.

A utilização e a consequente depleção dessa fonte energética requerem a participação de processos químicos (vias metabólicas) que resultem na produção de energia necessária para que a ligação entre ADP e Pi seja refeita, restaurando-se o potencial de trabalho. São os chamados sistemas de ressíntese de ATP.

Sistemas de ressíntese de ATP
1. Anaeróbicos: não utilizam oxigênio (O2) nas suas reações:
sistema ATP-CP ou dos fosfagênio (aláctico);
sistema glicolítico (láctico).
2. Aeróbico (oxidativo): dependente de O2

Sistemas anaeróbicos
Sistema ATP-CP (CP= creatina fosfato ou fosfocreatina)
1. Os fosfagênios (ATP e CP) armazenados no organismo são a via mais rápida de produção energética. Além da ATP (molécula geradora de energia biológica), há a CP, que se encontra no citoplasma da própria célula muscular e também possui uma ligação fosfato de alta energia."


Fonte: Exercícios na saúde e na doença
Mauro Vaisberg e Marco Túlio de Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário